Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Debandada de líderes

Quando José Sarney reuniu o primeiro time do Senado, há cerca de duas semanas, para avaliar a conveniência da CPI mista do Cachoeira, foram poucos os líderes que apoiaram a iniciativa. Diante da inevitável instalação da investigação, os mesmos líderes contrários à comissão resolveram então que iriam ocupar os cargos para evitar imprevistos. Entre essa […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 09h01 - Publicado em 25 abr 2012, 07h03

Líderes partidários estão fora da CPI

Quando José Sarney reuniu o primeiro time do Senado, há cerca de duas semanas, para avaliar a conveniência da CPI mista do Cachoeira, foram poucos os líderes que apoiaram a iniciativa. Diante da inevitável instalação da investigação, os mesmos líderes contrários à comissão resolveram então que iriam ocupar os cargos para evitar imprevistos.

Entre essa decisão e o anúncio da relação de indicados pela CPI ontem, algo misterioso aconteceu no Congresso: os caciques deram para trás e resolveram não botar a cara na CPI. Consequência: senadores desconhecidos, de primeira viagem e até suplentes são maioria na comissão.

O cenário não poderia ser pior para Agnelo Queiroz, Marconi Perillo e Sérgio Cabral. Na mira dos parlamentares, o trio não terá escudeiros de peso para defendê-lo de uma eventual convocação.

Continua após a publicidade

Publicidade