Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Conselho de Ética da Câmara arquiva processo contra Luis Miranda

O relator da representação mudou seu voto de última hora, em favor do deputado que denunciou irregularidades no caso Covaxin

Por Gustavo Maia 3 nov 2021, 15h21

Por 13 votos a 1, o Conselho de Ética da Câmara decidiu arquivar a representação contra o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), apresentada em julho pelo PTB. A decisão ocorreu no início da tarde desta quarta-feira.

O partido alegou que o parlamentar agiu de má-fé ao denunciar irregularidades no caso da compra da vacina Covaxin, em junho, “um suposto crime cometido por agente do Estado, apontando suposto superfaturamento a fim de prejudicar a imagem e imputar crime ao presidente da República e ao ministro da Saúde à época, o general Eduardo Pazuello”.

O relator do processo, Gilberto Abramo (Republicanos-MG), mudou seu entendimento de última hora e alterou seu parecer para recomendar o arquivamento da representação contra o colega, com base nas explicações de Miranda e na posição da PGR sobre sua situação.

A única deputada a votar contra foi Soraya Manato (PSL-ES).

Continua após a publicidade

Publicidade