Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Congresso espanhol aprova moção de apoio à democracia no Brasil

Texto crítico a Jair Bolsonaro foi debatido em comissão do parlamento da Espanha; documento fala de pandemia, meio ambiente e pobreza

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 14 out 2021, 13h47 - Publicado em 15 out 2021, 14h30

Eleita em 2019 para o congresso espanhol pelo partido Esquerda Republicana da Catalunha, a advogada brasileira natural do Sergipe Maria Dantas conseguiu nesta quarta-feira que seus colegas aprovassem uma moção de apoio e solidariedade ao povo brasileiro “em sua luta pela vida, proteção e defesa do meio ambiente e pelas instituições democráticas”. 

O texto com críticas aos 1.000 dias de gestão de Jair Bolsonaro foi aprovado por 21 votos a 14 na Comissão de Assuntos Externos do Congresso da Espanha. A moção menciona assuntos de interesse dos europeus progressistas sobre o Brasil, como o aumento do supremacismo branco, o desmatamento da Amazônia e a violência contra povos indígenas, as ameaças aos direitos LGBTQI+, o racismo contra populações negras, o aumento da pobreza extrema e, por fim, o uso do chamado ‘kit covid’ e as revelações da CPI da Pandemia. 

O documento cita ainda os mais de 100 pedidos de impeachment já apresentados contra o presidente e pede que o governo espanhol transmita ao Brasil suas preocupações com relação à instabilidade política do país. O texto faz ainda críticas a Paulo Guedes, lembrando de sua simpatia pelo modelo econômico adotado na ditadura do Chile, atualmente um dos países mais desiguais do mundo.  

Dantas é a primeira brasileira eleita para uma cadeira no parlamento da Espanha. Entre suas pautas está a defesa dos direitos dos imigrantes. “Foram meses preparando esta iniciativa parlamentar, em busca de várias representatividades políticas, não só dos partidos de esquerda, mas desde anticapitalistas até a direita liberal, o que seria, aqui, o partido de Angela Merkel”, disse ela.

Continua após a publicidade

Publicidade