Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como Geraldo Alckmin testa a paciência de aliados

Ex-governador tucano ficou no PSDB para tentar derrotar Doria nas prévias, mas terminou perdendo mais uma para o presidenciável tucano

Por Robson Bonin Atualizado em 7 dez 2021, 09h04 - Publicado em 7 dez 2021, 12h30

Geraldo Alckmin prolongou sua permanência no PSDB, segundo aliados, para demonstrar força em São Paulo. Ex-governador e cacique da sigla dominada por João Doria, ele ficaria no partido para usar sua influência a favor de Eduardo Leite, ajudando o governador gaúcho a derrotar seu desafeto.

As prévias já se foram e Alckmin perdeu mais uma para Doria. Em vez de deixar logo o partido, uma vez confirmada a nova derrota, o tucano segue se arrastando na sigla enquanto flerta com Lula e o PT.

Essa falta de ação de Alckmin, que não define seu futuro nem permite que apoiadores se movimentem, é o que tem testado a paciência de apoiadores. Hoje, o ex-governador, em tese, poderia escolher alguns partidos para se filiar e tentar retomar o Palácio dos Bandeirantes. Esse privilégio esgota-se dia a dia, enquanto outros nomes da política paulista se movimentam.

Publicidade