Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como Bolsonaro, Lula ataca Judiciário: ‘faz mais política que o Congresso’

Para o petista, o Brasil "foi tirado da sua normalidade" e hoje está "uma loucura".

Por Gustavo Maia 29 jun 2022, 13h17

Lula concede neste momento mais uma longa entrevista, desta vez à Rádio Educadora AM de Piracicaba, com mais críticas a Jair Bolsonaro e apelos à pacificação do país. O petista, no entanto, acabou ecoando os ataques do principal adversário ao Judiciário, que segundo ele “está fazendo mais política que o Congresso”.

“O país está desmontado, as instituições estão desacreditadas, as instituições estão brigando entre si. E nós precisamos fazer esse país voltar à normalidade. Ninguém precisa ter raiva de ninguém, ninguém precisa ter ódio de ninguém”, afirmou Lula.

O ex-presidente lembrou que perdeu eleições para Collor e FHC e disse que ninguém ficava com raiva, com ódio, querendo atirar, brigar, desaforar as pessoas.

“Esse país precisa voltar a ter paz. A sua sociedade precisa voltar a ser humanista, para que a gente se trate bem, se respeite, e isso vai acontecer com muito investimento para gerar emprego nesse país e para gerar esperança no nosso povo”, defendeu.

Pouco depois, Lula disse que Brasil “foi tirado da sua normalidade” e hoje está “uma loucura”.

“As pessoas não se entendem. O Congresso Nacional tomou conta do Orçamento da União, que era de administração do presidente da República. O Poder Judiciário está fazendo mais política do que o Congresso Nacional. O Congresso Nacional está judicializando a política”, comentou.

E apelou para uma analogia com o futebol:

“Houve muitas invenções e nós precisamos parar, sentar. Tem gente que fala pra mim que quando o Brasil perdeu da Alemanha de 7 a 1, quando a Alemanha marcou o terceiro gol, o Felipão deveria ter pedido pro jogador cair dentro do campo pra parar e arrumar o time, pra não levar mais gol. Ou seja, nós vamos ter que parar, pensar e fazer as coisas acontecerem com mais cordialidade, com mais civilidade, com mais democracia e com mais participação da sociedade”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)