Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro deve depor pessoalmente à Polícia Federal, diz Celso de Mello

Placar está 1 a 0 para que presidente deponha presencialmente, e não por escrito, como AGU defende

Por Mariana Muniz Atualizado em 8 out 2020, 17h14 - Publicado em 8 out 2020, 17h05

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quinta-feira para que o presidente Jair Bolsonaro deponha presencialmente à Polícia Federal no inquérito que apura suposta interferência sua na Polícia Federal — segundo apontado pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

“A relevância de qualificar-se o interrogatório no curso do inquérito como expressivo meio de defesa do investigado conduz ao reconhecimento de que a possibilidade de o investigado coparticipar, ativamente, do interrogatório dos demais coinvestigados traduz projeção concretizadora da própria garantia constitucional da plenitude de defesa, cuja integridade há de ser preservada por juízes e Tribunais”, disse o ministro. 

O decano foi o único a votar na sessão desta quinta-feira. Segundo o ministro, o presidente deve depor pessoalmente à PF para que Moro também possa fazer perguntas. Pelo voto do ministro, Bolsonaro deve depor em dia e horário marcado pela Polícia Federal.

Na avaliação de Celso, investigados — como é o caso de Bolsonaro e de Moro — devem depor presencialmente. O depoimento por escrito, como quer a AGU, só pode ser concedido para quem não ostenta essa posição nas investigações. Para o decano, o depoimento por escrito de chefes dos poderes da República configura um “verdadeiro privilégio” e “põe em perspectiva a grave questão concernente a uma prerrogativa fundamental, como o direito ao confronto no processo penal”. 

A continuação do julgamento depende de o caso ser incluído em pauta pelo presidente da Corte, ministro Luiz Fux.

 

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)