Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ausência de aliados políticos no Congresso custou cargo a Canuto

Ministro tinha perfil técnico, mas acabou isolado diante das pressões do centrão por sua cadeira

Por Robson Bonin Atualizado em 6 fev 2020, 18h04 - Publicado em 6 fev 2020, 17h56

Bombardeado pelos partidos do chamado centrão, Gustavo Canuto, o chefe do Desenvolvimento Regional, deixou o cargo nesta quinta-feira. Ele dará lugar ao secretário de Previdência Rogério Marinho.

O que derrubou Canuto foi justamente o que o levou ao cargo. Por não ter relações políticas com o varejão do Congresso, ele recebeu o aval de Jair Bolsonaro para tocar uma das pastas mais cobiçadas pelos caciques partidários.

O tempo passou e justamente a falta de padrinhos começou a pesar junto ao Planalto. Bolsonaro, o tempo todo cobrado por políticos, deu-se conta de que ninguém iria chorar a saída de Canuto, caso ele decidisse fazer um agrado ao Congresso. E assim a exoneração do ministro foi lançada no Diário Oficial.

Em defesa de Canuto, diga-se que ele recebia os caciques do centrão no Congresso, mas não tinha o essencial: dinheiro. Deputados e senadores batem no gabinete de um ministro da Esplanada, geralmente, por duas coisas: pedir dinheiro a prefeitos ou chorar a liberação de verbas de algum empresário amigo com dinheiro a receber.

Canuto até pagava, mas o dinheiro não era suficiente. Para piorar, o ministro deixava claro aos insatisfeitos que a reclamação deveria ser direcionada ao outro lado da Esplanada, onde despacha Paulo Guedes. Foi assim que o ministro, sem aliados políticos, conseguiu desagradar também os colegas da economia.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)