Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Alteração em medida provisória é vista como revés contra energia eólica

Prevista para ser votada na próxima semana na Câmara, a Medida Provisória 735 recebeu de última hora um adendo que deve afetar o setor eólico no Brasil. Com objetivo de destravar o setor elétrico e incentivar as privatizações, a MP sofreu um adendo que retira da produção de energia eólica e da biomassa o desconto que estas fontes possuem na tarifa de transmissão […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h38 - Publicado em 7 out 2016, 08h21
energia-eletrica-torre-alta-tensao-20110307-29-size-598

MP-735: nova polêmica no setor elétrico

Prevista para ser votada na próxima semana na Câmara, a Medida Provisória 735 recebeu de última hora um adendo que deve afetar o setor eólico no Brasil.

Com objetivo de destravar o setor elétrico e incentivar as privatizações, a MP sofreu um adendo que retira da produção de energia eólica e da biomassa o desconto que estas fontes possuem na tarifa de transmissão e distribuição.

Atualmente, as fontes eólica, solar, de biomassa e as pequenas centrais hidrelétricas possuem tal desconto. O alívio faz com que estas matrizes sejam comercializadas em equilíbrio de condições. Logo, se extinto o desconto, haverá uma assimetria de preços entre as energias renováveis.

Continua após a publicidade

O “jabuti” vai contra o discurso do BNDES. Nesta semana, o banco anunciou novo plano de financiamentos, com forte sinalização da importância da energia eólica para o futuro da matriz elétrica.

Atualização: O Ministério das Minas e Energia afirma que as mudanças não vão afetar o setor. Veja íntegra da nota divulgada pelo órgão abaixo:

“O Ministério de Minas e Energia informa que não procede a afirmação de que haverá assimetria de preços entre essas fontes.  Na verdade, a aplicação da medida significa menos custos para o consumidor de energia, que hoje paga mais caro na conta de luz devido a esse subsídio.

Continua após a publicidade

A ação se alinha nos esforços de redução dos encargos do setor elétrico, que hoje oneram os consumidores, e melhora a informação do preço efetivo de cada fonte.

O MME entende a importância da fonte eólica na matriz energética brasileira, o que motiva a realização de leilões específicos para essa fonte, garantindo a sua inserção no mercado pelo preço adequado, que se revela na competição pelos empreendedores eólicos, com redução de custos e de preço da energia ao longo dos últimos anos.

A emenda, que foi incluída no Congresso durante o trâmite Legislativo, ainda estabelece que o desconto será retirado apenas após o quinto ano de operação dos novos empreendimentos. Aos antigos, o desconto fica assegurado até o fim da outorga”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.