Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Agressões e Erundina no hospital acendem debate sobre civilidade na Câmara

Briga entre Nikolas Ferreira e André Janones será tema em reunião de líderes com Arthur Lira, que encomenda estudo da assessoria sobre punições

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 10 jun 2024, 19h01

A troca de agressões entre Nikolas Ferreira (PL-MG) e André Janones (Avante-MG) pelos corredores da Câmara e a crise de falta de ar de Luiza Erundina (PSOL-SP) na Comissão de Direitos Humanos na semana passada acenderam o debate sobre regras mínimas de convivência e civilidade na Casa e punições a quem descumpri-las.

Os episódios transcorreram em lugares diferentes da Câmara, mas, separados apenas por algumas horas, alarmaram deputados e líderes sobre a gravidade das consequências que situações de descontrole – principalmente quando há tumulto e risco de violência física – podem provocar.

Arthur Lira (PP-AL) encomendou à assessoria técnica da presidência da Casa um estudo sobre as possíveis punições a Ferreira e Janones. Só decidirá como agir depois de analisar o levantamento e as opiniões de líderes de bancadas em reunião na residência oficial nesta terça-feira, às 12h30.

“Tem que puni-los exemplarmente nos rigores do que reza nosso regimento, com uma medida que gere um efeito pedagógico”, afirmou ao Radar o líder do PSB, Gervásio Maia (PB). “Se não fizer isso, ninguém sabe como vai terminar.”

Vários parlamentares atribuem a insuficiência respiratória de Luiza Erundina à beligerância que tem permeado alguns debates na Câmara. Pouco antes de passar mal, a deputada havia defendido a aprovação de um projeto que obriga o Estado brasileiro a identificar publicamente lugares de repressão política utilizados por agentes da ditadura.

Continua após a publicidade

“A médica que a atendeu no hospital disse que ela chegou numa situação tão crítica que a equipe se preparou para uma parada cardíaca. A saturação de oxigênio no sangue baixou de 50%”, afirmou o líder do PSB.

O líder do PCdoB, Márcio Jerry (MA), disse que é necessário retomar a civilidade e um ambiente “politicamente saudável” de debate na Câmara.

“Todo mundo pode debater, falar, sustentar, mas não pode ser um lugar de briga, de confusão e até de violência. Num clima daqueles de empurrão, soco, aquilo para ter uma tragédia falta pouco”, declarou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.