Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

2020, o ano em que o brasileiro viveu para pagar contas e se alimentar

Gastos com lazer, educação e saúde sofreram retração; 57,7% dizem que não conseguiram economizar na pandemia

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 28 jan 2021, 07h39 - Publicado em 28 jan 2021, 07h32

Uma pesquisa revela que as privações ocasionadas pela pandemia vão muito além do isolamento social. Ao longo de 2020, gastos com alimentação e itens de manutenção básicos, como água e energia elétrica, foram responsáveis por 76,6% do total de despesas do brasileiro. Na prática, sobrou quase nada para saúde (6,1% dos gastos), lazer (5,8%) e educação (3,6%).

Para 57,5% dos entrevistados, não foi possível poupar no ano passado e outros 38,1% disseram que continuam indo ao trabalho todos os dias, desde o início da crise sanitária. Dentre os que praticam home office, 29,2% afirmam que foi preciso improvisar um lugar para trabalhar dentro de casa e outros 26,5% tiveram de buscar um plano melhor de internet. Os resultados são parte de uma pesquisa do Instituto Reclame Aqui entre os dias 4 e 8 de janeiro.

Publicidade