BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana

Radar Econômico

Por Victor Irajá
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

WhatsApp pode perder seu segundo Natal

Sistema de pagamentos da empresa passa por uma série de problemas e negócio patina

Por Josette Goulart
Atualizado em 1 out 2021, 16h52 - Publicado em 1 out 2021, 16h50

Era ainda o primeiro semestre de 2020 quando o  WhatsApp lançou com pompa e circunstância seu sistema de pagamentos via aplicativo, que prometia ser uma tremenda revolução no mercado e uma das principais fontes de receita da empresa. O primeiro problema veio a galope: o Banco Central mandou parar tudo até fazer uma avaliação e aprovar o sistema.  Quase um ano depois, o Banco Central liberou uma parte do arranjo, o P2P – a transferência de pessoa física para pessoa física. A aprovação foi em março, mas o WhatsApp só disponibilizou o recurso dois meses depois. Veio o segundo problema: não foi exatamente um sucesso de público. As pessoas ficaram com medo de golpes por acreditar que estariam se expondo se colocassem seus dados bancários no WhatsApp. A empresa teve então que começar uma intensa campanha para explicar que os golpes só acontecem se a própria pessoa passar informações para golpistas ou não acionar os esquemas de segurança do próprio aplicativo.

E agora ainda tem o terceiro problema: a demora do Banco Central em aprovar o uso do Payments do WhatsApp para empresas. Ou seja, um ano e três meses depois do primeiro lançamento ainda não é possível comprar produtos pelo WhatsApp e pagar diretamente com o sistema. Oficialmente, o WhatsApp diz que espera que o lançamento aconteça nos próximos meses. A expectativa é de que assim que o BC aprove, o sistema esteja no ar em menos de 30 dias. Mas o diretor geral do Facebook, Conrado Leister, disse nesta sexta-feira, 01, a jornalistas, que o sistema para empresas não deve ser lançado neste ano. Isso significa que o WhatsApp, que pertence ao Facebook, perderá seu segundo Natal consecutivo. 

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A melhor notícia da Black Friday

Assine VEJA pelo melhor preço do ano!

BLACK
FRIDAY

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana

a partir de R$ 1,00/semana*
(Melhor oferta do ano!)

ou

BLACK
FRIDAY
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)

ou

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas. Acervos disponíveis a partir de dezembro de 2023.
*Pagamento único anual de R$52, equivalente a R$1 por semana.