Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

“Uber de fotógrafos” alcança primeiro milhão em vendas

Startup tem menos de dois anos de vida e já chegou ao seu break even, quando paga o investimento inicial

Por Diego Gimenes 11 mar 2022, 15h29

A startup Banlek que promete conectar fotógrafos e clientes que estão próximos fisicamente chegou ao seu primeiro milhão em vendas em dois anos de operação. A operação teve início pouco antes da pandemia no Rio de Janeiro e hoje conta com três mil fotógrafos cadastrados e mais de 35 mil clientes em todos os estados do país. “Eu pratico esportes e sempre quis que alguém tirasse fotos profissionais de mim, mas tinha dificuldade de encontrar o serviço. Decidi criar a plataforma e ela entrou no ar em janeiro de 2020, e aproveitamos o tempo da pandemia para aprimorar nossa tecnologia. Começamos para valer só em outubro daquele ano”, conta Jonathas Guerra, CEO da Banlek. Depois de começar a operação com nicho em esportistas, a startup expandiu seu público e hoje atende clientes de outros segmentos, como os setores de imóveis, eventos e também empresas.

A plataforma cobra comissões dos fotógrafos que vão de 9% a 15% pelas fotos comercializadas na plataforma e já contabiliza mais de cinco milhões de fotografias vendidas. O Grupo APSA, que atua no mercado imobiliário do Rio, foi um dos primeiros investidor ao injetar 300 mil reais no início da operação e possui 33% de participação na startup, o restante pertence a Guerra. A companhia atingiu o seu break even, quando custos e receitas se equilibram, no último mês de dezembro. “Estamos na fase de captação de novos recursos para ampliar a empresa. Temos um modelo de negócios enxuto de apenas dois funcionários. O dinheiro que entrar vai ajudar no marketing e na contratação de pessoas para trazermos mais fotógrafos e clientes para a plataforma”, conta o CEO da Banklek. No meio de uma das maiores crises econômicas da história, o executivo aposta que a empresa se transforme numa segunda fonte de renda para os profissionais da fotografia

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês