Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

O maior IPO da história não deve mais acontecer tão cedo

Ant Group lançaria suas ações nesta quinta e pretendia captar 35 bilhões de dólares

Por Machado da Costa Atualizado em 3 nov 2020, 11h00 - Publicado em 3 nov 2020, 10h48

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Ant Group, comandado pelo chinês Jack Ma, não deve mais acontecer tão cedo. Estava prevista para esta quinta-feira, 3, mas as autoridades chinesas mudaram as regras para o conglomerado, alinhando-o a bancos e exigindo requisitos de capital. O Ant Group pretendia captar 35 bilhões de dólares e o mercado acreditava que o IPO poderia gerar recursos muito maiores do que isso.

A mudança de regras forçou a bolsa de Xangai e a de Hong Kong, os dois locais onde seriam lançadas as ações, a suspenderem o IPO. A suspensão joga um balde de água fria em investidores de todo o mundo, inclusive do Brasil. Diversos fundos vinham se posicionando para aproveitar o IPO.

“Recentemente, o atual controlador, presidente e gerente geral da sua empresa foram convocados e entrevistados conjuntamente pelas autoridades regulatórias relevantes. Sua empresa também relatou problemas significativos, como as mudanças no ambiente regulatório de tecnologia financeira. Esses problemas podem fazer com que sua empresa não cumpra as condições de listagem ou os requisitos de divulgação de informações”, afirmou a bolsa de Xangai.

Recentemente, Ma vinha se queixando das regras impostas pelas autoridades chinesas. Em uma conferência, em Xangai, no fim de outubro, Ma comparou os Acordos da Basileia, que definem os requisitos de capital dos bancos mundo afora, “a um clube para idosos”.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade

Publicidade