Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Controlada pelo Pátria, Lavoro cresce em ritmo acelerado e fatura R$ 7 bi

Principal aposta do fundo Pátria Investimentos no agro, empresa projeta alta de 25% em receita para safra 2021/2022 e quer investir alto para ganhar mercado

Por Felipe Mendes Atualizado em 15 jan 2022, 11h52 - Publicado em 14 jan 2022, 20h05

Executivo de carreira construída na Ambev, chegando a ser CEO de uma unidade de negócios da AB InBev no Canadá, Marcelo Abud tem se entranhado em novos desafios. Desde junho de 2020, seu terreno de atuação é o campo, liderando operações do fundo Pátria Investimentos no agronegócio. Em maio de 2021, assumiu o cargo de CEO do grupo Lavoro, maior distribuidora de insumos agrícolas da América Latina. Mesmo com o pouco tempo à frente do negócio, já tem o que comemorar. A empresa deve consolidar na safra 2021/2022 o maior faturamento de sua história, acima de 7 bilhões de reais, em um crescimento projetado de 25% para o período.

A empresa, que atende 55 mil produtores (a maioria de pequeno e médio portes), foi impulsionada pela disparada na procura e nos preços de insumos como fertilizantes e defensivos em cadeia global. “Foi uma temporada surpreendentemente boa para os insumos agrícolas. Estávamos projetando um faturamento próximo a 6,5 bilhões de reais nesta safra, mas estamos revisando para 7 bilhões de reais ou um pouco acima disso, já que novembro e dezembro foram meses ótimos”, diz Abud. “Essa escalada nos preços é muito em consequência dos choques na produção que estamos enfrentando no mundo inteiro. Como há um aumento enorme no volume vendido, também há um importante reajuste no preço.”

Com a operação espalhada entre Brasil, Colômbia e Uruguai, a Lavoro vê como foco para 2022 a expansão de suas lojas. Hoje são 165 unidades. No plano da empresa está investir 20 milhões de reais para a ampliação da vertente de distribuição do grupo. Fora isso, a Lavoro tem investido em soluções digitais, em pesquisa e desenvolvimento (P&D), mas não nega que a vertente que mais faz brilharem os olhos dos investidores do Pátria é a divisão Crop Care, de fertilizantes especiais e biológicos. “A gente está mais do que dobrando os investimentos na Crop Care, tanto em P&D como em estrutura. Será algo acima de 50 milhões de reais”, projeta Abud.

Para este ano, o executivo diz que a inflação nos alimentos continuará dando as caras. “A gente acha que vai ter uma pressão inflacionária por conta da eleição e da escassez no mercado. Essa quarta onda de Covid-19 que veio agora começa a colocar pressão na cadeia mais uma vez, o que deve travar a importação e pode fazer com que os preços voltem a subir. A inflação, na nossa leitura, virá acima da expectativa do governo”, diz Abud. A Lavoro pretende, ainda, continuar investindo na expansão por meio de fusões e aquisições (foram mais de dez desde 2020) e na sua divisão digital, com a venda de produtos pela internet. “Lançamos nosso aplicativo recentemente e transformamos o que era um simples e-commerce em um grande marketplace, com faturamento de 350 milhões de reais. A pandemia forçou a digitalização para os produtores.”

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Continua após a publicidade

Publicidade