Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Líder na América Latina, dona da Fiat não deslancha em assinatura de carro

Criada pela FCA para concorrer com locadoras, Flua esteve com freio de mão puxado em 2021; projeto entra em nova fase

Por Felipe Mendes Atualizado em 11 jan 2022, 09h58 - Publicado em 10 jan 2022, 10h02

A Stellantis, conglomerado resultante da fusão entre os grupos Fiat Chrysler Automóveis e PSA (Peugeot Citroën), está atuando com o freio de mão de puxado no mercado de assinaturas. Por meio da marca Flua, lançada em dezembro de 2020, esperava-se que a líder em vendas na América Latina fosse causar um estardalhaço no setor e concorrer em pé de igualdade com as locadoras. Ainda não aconteceu. Um dos últimos lançamentos no país enquanto FCA, a nova vertente de negócios do grupo tem sofrido pela restrição da oferta em meio à crise dos semicondutores no mercado, mas também porque a empresa escolheu “esperar” antes de começar a acelerar, como explica Antonio Filosa, presidente da Stellantis para a América do Sul.

“Nós estamos segurando um pouco a mão, embora a demanda por Flua em nossas concessionárias não pare de crescer, porque queremos aprender. Decidimos ir devagar no primeiro ano para evitar de termos problemas relacionados a um não perfeito entendimento do business em si, que é diferente do que a gente faz no dia a dia”, disse Filosa. “Em um ano como nós estávamos, onde produzir carros era um pouco mais difícil, obviamente isso se casou, mas não foi o fator principal. O principal é que estávamos em uma fase ‘piloto’ para o projeto, tentando aprender. Vamos entrar em uma nova fase agora.”

A Flua, hoje, oferta a opção de assinatura para carros zero-quilômetro das marcas Fiat e Jeep. Filosa não deixou claro se (ou quando) o modelo de negócios passará a disponibilizar veículos da Peugeot e da Citroën no país. Em 2021, a Stellantis conquistou a liderança de mercado na América Latina. No Brasil, o grupo totalizou 635,5 mil veículos vendidos, o que correspondeu a 32% do mercado nacional. A Fiat foi a líder de mercado em unidades emplacadas, com 431 mil veículos, e teve como carro-chefe a picape Strada, com 109,1 mil emplacamentos no ano.

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Continua após a publicidade

Publicidade