Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Econômico Por Victor Irajá Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich

‘Guedes está sentado no cofre e eu queria gastar’, diz Marinho

Ao Amarelas On Air, programa de entrevistas de VEJA, ministro rememorou as divergências com o chefe da Economia

Por Victor Irajá Atualizado em 13 jul 2022, 17h53 - Publicado em 13 jul 2022, 10h03

Não foram poucos os episódios durante o governo de Jair Bolsonaro nos quais os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, protagonizaram discussões ásperas nos bastidores a respeito da diretriz para a economia do país — rivalidade que teve início no começo da pandemia de Covid-19. Enquanto Guedes batia na tecla da responsabilidade fiscal, Marinho defendia o uso de recursos públicos para obras e o fomento da atividade econômica durante os momentos de fechamento de estabelecimentos e restrição da circulação de pessoas.

Em entrevista ao Amarelas On Air, de VEJA, Marinho, hoje pré-candidato do PL ao Senado pelo Rio Grande do Norte, afirmou que as divergências são naturais e, apesar de elogiar a gestão fiscal de Guedes, admitiu a vocação para o aumento de gastos públicos. “Qualquer governo tem divergências. É natural, porque, se o governo fosse uma reunião de dervixes ou de lagartixas, não seria um governo. Seria o quê? Um convento de freiras”, disse.

“Dentro do governo, nós fazemos um time. Eu posso ter divergências com o ministro Paulo Guedes — posso ter tido, porque não estou mais no governo. E são perfeitamente naturais porque ele é a pessoa sentada no cofre, eu sou a pessoa que quero gastar”, diz Marinho. “Ele é o responsável pela política fiscal e o Banco Central, da política monetária. Então uma série de medidas do ponto de vista da ortodoxia fiscal deu certo. Inclusive com a nossa ajuda, a reforma da Previdência, por exemplo”, diz.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)