Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Fundos sul-africanos processam Vale e seus executivos por Brumadinho

Em nova empreitada judicial nos Estados Unidos, investidores dizem que executivos fizeram falsas afirmações ao dizer que suas barragens eram seguras

Por Josette Goulart Atualizado em 26 nov 2021, 16h41 - Publicado em 26 nov 2021, 11h36

Os fundos da gestora Orbis Investment, que administra 37 bilhões de dólares e que foi fundada pelo sul-africano Allan Gray, entraram com um processo na Justiça americana contra a Vale e seus diretores pedindo ressarcimento das perdas que  tiveram com a desvalorização das ações após a tragédia de Brumadinho.

De acordo com a inicial do processo, a qual o Radar Econômico teve acesso, os fundos alegam que repetidamente a empresa informava aos investidores que suas barragens eram seguras e diziam em seus relatórios de sustentabilidade e eventos com investidores que seus lemas eram que “ A vida é mais importante ” e que queriam “premiar nosso planeta”, e que a partir desses valores haviam alcançado patamares mais elevados de sustentabilidade. Os fundos lembram que Schwartsman, o então presidente da Vale, repetia um mantra: “Mariana, nunca mais”. Em 2019, no entanto, apenas quatro anos depois de Mariana, estourou a barragem de Brumadinho deixando 270 pessoas mortas.

Os fundos dizem que as afirmações dos executivos eram falsas já que o próprio relatório de investigação independente da Vale teria mostrado que pelo menos desde 2003, a Vale tinha informações que indicavam a fragilidade da barragem. Além disso, os investidores também lembram que a própria SEC, a CVM americana, informou há um mês, em outubro, que vai investigar a atuação da empresa e seus diretores no caso. Os fundos Orbis dizem que as perdas no mercado chegaram a quase 30% dias após o estouro da barragem, mas não informa o tamanho das suas perdas.

O processo foi protocolado na Justiça em Nova York no último dia 24 de novembro e é contra a Vale, os ex-presidentes Murilo Ferreira e Fabio Schvarstsman, os vice-presidentes Luciano Pires e Luiz Eduardo Osorio e ainda o ex-diretor Peter Poppinga.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês