Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Comércio pede novas restrições no Pix para evitar fraudes

Entidade sugere restringir transferências imediatas para contas que possuem menos de três meses e mais critérios para aberturas de contas digitais

Por Diego Gimenes 10 jan 2022, 14h00

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) quer mais restrições para evitar fraudes no Pix. A entidade sugeriu ao Banco Central que as transferências imediatas para pessoas físicas que tenham contas abertas há menos de três meses sejam restringidas e que os protocolos para abertura de contas digitais sejam reforçados, sobretudo na confirmação da veracidade dos documentos enviados pelos clientes. O reforço na segurança pode ser feito, segundo a FecomercioSP, por meio de reconhecimento facial, biometria ou código PIN. Por fim, a entidade recomendou que nas três primeiras operações pelo Pix, os novos usuários realizem uma dupla checagem por meio da confirmação de dados via celular ou e-mail para permitir a rastreabilidade das informações. Vale lembrar que o Banco Central já colocou em prática mudanças como a opção de limitar o valor das transações no período noturno, por exemplo.

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Publicidade