Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Com vacinação lenta, PIB do Brasil crescerá abaixo da média do G20

Em relatório de perspectiva econômica de 2021, OCDE projeta crescimento médio do PIB das principais economias em 5,8%

Por Josette Goulart Atualizado em 31 Maio 2021, 09h00 - Publicado em 31 Maio 2021, 08h39

Enquanto faz uma nova projeção para o crescimento da economia dos países do G20, de 4,2% para 5,8% neste ano, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) estima que o PIB do Brasil vai crescer menos do que a média e ficar em 3,7%. No próximo ano, somente 2,5%. O relatório de perspectiva econômica, divulgado nesta segunda-feira, 31, pela organização, mostra no seu capítulo sobre o Brasil que apesar de ter grande capacidade local de produção de vacinas (não é uma, mas três fábricas produzindo vacinas no Brasil), o ritmo de vacinação no país é lento e só deve acelerar no segundo semestre, afetando a recuperação econômica. Além disso, a OCDE alerta para o aumento da pobreza se o auxílio emergencial não for prorrogado na medida em que a crise sanitária não se resolve.

Sobre a economia global, a organização chama a atenção para a desigualdade na recuperação da economia global e o risco de novos surtos da Covid-19, com novas cepas, com a demora da vacinação em alguns países. Enquanto países como Coreia do Sul e Estados Unidos já voltam aos níveis pré-pandemia ainda neste ano, 18 meses após o início da pandemia, Brasil e grande parte da Europa devem levar mais perto de três anos, se recuperando mais para o fim de 2022. Já países como México e África do Sul devem levar de três a cinco anos. A Argentina mais de cinco anos.

Publicidade