Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Com Petrobras em disparada, o que é melhor: preferenciais ou ordinárias?

VEJA Mercado: estatal está em destaque na bolsa em meio à disparada do petróleo no mercado internacional

Por Diego Gimenes 26 jan 2022, 14h49

Com o petróleo brent batendo na porta dos 90 dólares o barril, cresceu a procura pelas petrolíferas na bolsa de valores brasileira. A Petrobras, maior delas, disparou junto com o petróleo e já sobe 20%. Mas a empresa tem dois tipos de ações em negociação: as ordinárias e as preferenciais, e as diferenças entre elas são importantes na hora de decidir onde alocar os investimentos. As ações ordinárias da companhia (PETR3) têm como diferencial a participação nas decisões da empresa por meio do direito a voto nas assembleias, embora o controle majoritário da empresa seja do governo federal. Além disso, em uma eventual privatização da companhia, o investidor terá direito a receber pelo menos 80% do valor da cotação de mercado.

Já as ações preferenciais (PETR4), que são referência para o mercado, possuem preferência no pagamento de dividendos. “As ações preferenciais são mais fáceis de transacionar porque circulam mais no mercado e costumam ser a porta de entrada para o estrangeiro, por exemplo, por causa dos dividendos. O maior benefício das ordinárias é o recebimento de até 80% do valor de mercado em uma eventual venda, mas a participação em assembleias é pouco relevante ao levarmos em conta o controle majoritário do governo federal”, avalia Ricardo Teixeira, coordenador do MBA em gestão financeira da FGV. Em geral, ambas negociam de maneira muito semelhante, embora os papéis preferenciais sejam mais voláteis justamente pelo maior volume de negócios. Às 14h23, as ações ordinárias da Petrobras subiam 3,91%, enquanto as preferenciais avançavam 3,39%. No janeiro das petrolíferas, ambas acumulam altas de 21,17% e 19,75%, respectivamente.

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês