Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Econômico

Por Pedro Gil (interino)
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

Centrais e setor produtivo ensaiam união por vacina e auxílio emergencial

Apesar da união de centrais com associações e sindicatos patronais em carta à sociedade, CUT fica de fora e alguns setores produtivos não assinam manifesto

Por Josette Goulart Atualizado em 13 abr 2021, 19h12 - Publicado em 13 abr 2021, 18h48

Em reunião com o governador de São Paulo, João Doria, há cerca de três semanas, as centrais sindicais junto com uma série de associações do setor  produtivo e sindicatos patronais articularam fazer uma carta aos moldes da que tinha sido lançada por banqueiros e economistas com críticas ao governo pela demora na vacinação contra a Covid-19. A nova carta incluiria a questão da fome. O slogan foi até acertado: “Vacina no braço, comida no prato”. Depois de semanas de negociações, a carta foi finalmente lançada com um mote diferente: “Brasil unido para proteger a vida”. Nem tão unido. A carta não tem a assinatura da CUT, nem da maior parte das associações de setor que tinham participado da reunião como Abimaq (máquinas), Anfavea (automóveis), Febraban (bancos) e Fecomércio.

De qualquer forma, Abrinq (brinquedos), Sindusfarma, SindusTextil, Intituto Ethos, Não demita e as outras centrais sindicais, como CTB, Força Sindical, UGT, CSB e NCST, assinam agora a carta aberta à sociedade. Pedem, entre outras coisas, a aceleração da vacina, o apoio a medidas de isolamento social, inclusive lockdowns, e a aprovação de um auxílio emergencial de 600 reais.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.