Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

O seu, o meu, o nosso Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Ricardo Humberto Rocha
Professor de Finanças do Insper. Fatos, dados e histórias do mundo do dinheiro
Continua após publicidade

A salvação é pelo risco

Como e por que as finanças contribuem para um mundo melhor

Por Ricardo Humberto Rocha
Atualizado em 16 Maio 2024, 14h43 - Publicado em 16 Maio 2024, 12h03

“Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!” Esta frase da escritora Clarice Lispector nos inspira a refletir sobre o mundo das finanças.

Neste artigo, quero compartilhar com você, leitor da VEJA e de VEJA NEGÓCIOS, como o entendimento da dinâmica das finanças pode nos proporcionar um olhar mais crítico e positivo sobre tudo que acontece ao nosso redor.

Mas, afinal, o que são finanças? Seria uma arte ou uma ciência que estuda o comportamento dos mercados de capitais? O cálculo da volatilidade? Os modelos estatísticos que preveem a perda esperada dos investidores? Talvez a estrutura e o custo de capital das empresas? Ou seria o comportamento dos indivíduos diante de decisões de alocação de capital? Ou ainda o orçamento doméstico das famílias, que muitas vezes as obriga a ter um senso aguçado de escolhas para que o dinheiro dure até a próxima entrada de caixa?

Podemos afirmar que todas essas facetas compõem o conceito de finanças em tempos atuais: Finanças de Mercado, Finanças Corporativas, Finanças Públicas, Finanças Comportamentais e Finanças Pessoais. Qualquer análise sobre finanças busca otimizar decisões de investimento, crédito, ou ainda escolher entre desejos e necessidades.

Uma excelente recomendação de leitura é o livro Finanças para uma Boa Sociedade, de Robert Shiller, publicado no Brasil pela editora Campus. Shiller argumenta que, embora sejam frequentemente criticadas por seu papel em crises econômicas e desigualdades, as finanças são essenciais para alcançar uma sociedade melhor e mais justa. Ele defende que as finanças, se bem utilizadas, podem ser uma ferramenta poderosa para resolver problemas sociais e promover inovação e eficiência.

Robert Shiller, um economista americano renomado e professor emérito na Universidade Yale, é especialmente conhecido por seu trabalho em economia comportamental e suas pesquisas sobre a volatilidade nos mercados financeiros. Em 2013, ele foi laureado com o Prêmio Nobel de Economia, juntamente com Eugene Fama e Lars Peter Hansen, por seus estudos sobre preços de ativos que exploram como crenças e comportamentos humanos influenciam os mercados.

Continua após a publicidade

A leitura do livro é um primeiro passo para percebermos que as finanças podem e devem contribuir para uma sociedade melhor. Orçamentos bem planejados otimizam decisões de políticas públicas ou empresariais.

Desde o Acordo de Bretton Woods, em 1944, e principalmente após o fim da Guerra Fria e o avanço da tecnologia da informação e da internet, a globalização financeira ganhou notoriedade em termos de geração de informações. Ela criou uma demanda para que os veículos de comunicação dialoguem com o público, expliquem, desmistifiquem, informem e contribuam para que as pessoas possam construir um letramento financeiro adequado.

Nas últimas décadas, passamos por diversas crises que tiveram consequências negativas para os mercados financeiros em escala global: México em 1994, Ásia em 1997, Rússia e Ucrânia em 1998, Brasil em 1999, Turquia em 2000, Argentina em 2001, Estados Unidos em 2008 e Europa em 2009.

Como a crise da covid impactou os mercados financeiros globais? Qual o custo dessas crises para os países? Como as sociedades reagiram? Os reguladores aprimoraram medidas preventivas? Qual o custo para os correntistas de instituições financeiras?

Entender esses processos pode ser muito enriquecedor, mostrando como as inovações podem transformar positivamente o cotidiano das famílias e nos permite refletir sobre nossas decisões pessoais, seja como consumidores, seja como contribuintes.

Continua após a publicidade

Iremos conversar sobre fintechs, sandbox regulatório, open finance, finanças verdes, tokenização e muito mais.  

E vamos caminhar com a inspiração de Clarice Lispector: os mercados financeiros nos ajudam a conviver com o risco!

 No próximo artigo vou compartilhar com você como anda o investidor brasileiro. 

Até lá.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.