Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Um presidente fantasma

MEMÓRIAS DO BLOG

Por Ricardo Noblat 7 jun 2018, 12h00

Texto do dia 07/06/2017

Mesmo que não seja cassado pelo TSE e consiga driblar a tão esperada denúncia da Procuradoria Geral da República a ser apresentada ao Supremo Tribunal Federal, como o presidente Michel Temer imagina que continuará governando até o último dia do próximo ano?

Dilma caiu porque pedalou a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas não só por isso. Caiu porque perdeu autoridade política para governar. A autoridade de Temer está sendo erodida a uma velocidade espantosa desde que ele recebeu a visita do empresário Joesley Batista.

Temer é o primeiro presidente da República investigado pelos delitos de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. No último sábado, a Polícia Federal prendeu seu homem de “estrita confiança”, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, o da mala.

Na segunda-feira, dispensada a intermediação do ministro da Justiça, a Polícia Federal despachou para Temer 82 perguntas, cada uma mais espinhosa do que a outra, e cobrou respostas em 24 horas. Ele ganhou mais 48 horas para respondê-las.

Um dos maiores amigos de Temer, ex-ministro do governo inicial dele, Henrique Eduardo Alves, foi preso ontem, acusado de corrupção. Também ontem soube-se que Temer e sua mulher Marcela voaram no jatinho particular de Batista quando ele era vice-presidente em 2011.

O principal aliado do governo, o PSDB, está com um pé no barco de Temer e o outro pé fora. É cobrado por seus políticos mais jovens para que entregue os cargos que tem no governo e se distancie dele. Se o fizer, outros partidos lhe seguirão.

Como Temer pretenderá aprovar no Congresso as reformas que prometeu? A trabalhista deverá ser aprovada. Mas a previdenciária tem tudo para não ser.

Temer corre o risco de se tornar um José Sarney, que no último ano do seu mandato governou o país como se fosse um fantasma.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)