Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Noblat

Por Coluna
O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Humanidade esgarçada (por Mirian Guaraciaba)

O sofrimento do Brasil nas mãos de Bolsonaro amargura a vida, inquieta, apavora

Por Mirian Guaraciaba
Atualizado em 14 abr 2021, 09h50 - Publicado em 13 abr 2021, 12h00

“Pergunte o que cada um de nós poderá fazer pelo Brasil e sua liberdade e … prepare-se”. Enfraquecido, Bolsonaro incitou seus adeptos, em rede social, logo após autorizar o vazamento de telefonema que trocou com um senador de Goiás.

O Capitão não disse para o que devem se preparar. Pusilânime que é, deixou no ar, num texto de 15 linhas. Ameaça de golpe? Foi o que seus asseclas pediram em (pequenas) manifestações no ultimo domingo.

Deu asas à imaginação de quem ainda acha que pode tudo. Pode fechar o Congresso, o Supremo, conclamar o “seu”Exercito, armar a população. Sua popularidade está em queda, mas há quem acredite em suas mentiras, patranhas, trapaças.

Bolsonaro, genocida, mata por inoperância, ignorancia e crueldade, mas não pode fechar o Congresso, nem tem o Exercito a sua disposição. Militares da ativa já deixaram claro: não há espaço para golpes. Nossa democracia é jovem, mas resistente.

Raramente, se viu um governante mentir tanto, sobre tudo, com tanta desfaçatez. A CPI pôs medo em Bolsonaro. Por menor que seja o estrago – o sujeito tem a chave do cofre para comprar deputados e senadores que estiverem à venda – a CPI apavora.

Tão evidente o medo de Bolsonaro que, mais uma vez, ameaçou no telefonema com o senador goiano: “se você (Cajuru) não participar da CPI, a canalhada do Randolfe Rodrigues vai participar. E vai encher o saco. Daí vou ter que sair na porrada com um bosta desse”.

Continua após a publicidade

Ameaça típica dos covardes. Medrosos. Caguinhas.

Ontem, em O Globo, a jornalista Dorrit Harazim fez um perfeito paralelo entre Bolsonaro e Jairinho, o vereador preso desde a semana passada pelo assassinato de uma criança, o pequeno Henry, de 4 anos.

Dorrit escreveu: “Jair e Jairinho têm algo em comum: gostariam de virar a página”. O primeiro é presidente do Brasil, a mortandade que semeia é coletiva. Jairinho prefere semear o terror individual, Por espancamento.

A mãe do pequeno Henry, suspeita, também está presa pelo assassinato do filho. Se ela participou dos atos monstruosos de Jairinho, não se sabe. Fútil, ambiciosa, narcisista, é certo que pouco fez para proteger o filho.

O sofrimento do Brasil nas mãos de Bolsonaro amargura a vida, inquieta, apavora.

Continua após a publicidade

O padecimento de Henry esgarça a alma.

Tiago não será um número

Professor do Colégio Marista de Brasilia, jovem, forte, não resistiu ao Covid. Tiago Ferreira Lima Sobreira Rolim, 40 anos, vai deixar imensa saudade. Sinto a tristeza de minhas netas Maria Luísa e Beatriz. Eram muitos alunos que o amavam tanto.

Mirian Guaraciaba é jornalista

Leia também:

  • De Lula a Bolsonaro, STF julga decisões sobre CPI e Lava-Jato nesta quarta.
  • A ficha da tropa de choque de Bolsonaro contra a CPI da Covid-19.
  • Ameaçado por Bolsonaro, Randolfe é indicado para integrar CPI da Covid-19.
  • Banco do Brasil sob nova direção.
  • Diversidade é fácil porque é só número. Quero ver é fazer inclusão.
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.