Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Neuza Sanches

Por Neuza Sanches Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Negócios, Mercados & Cia
Continua após publicidade

Reforma tributária: pipocam análises sobre o impacto na redução de imposto

Mercado financeiro e outros setores alimentam com estudos e análises os lobistas de plantão no Senado

Por Neuza Sanches Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 13 Maio 2024, 21h14 - Publicado em 11 set 2023, 09h00

Governadores, prefeitos, empresários, banqueiros e também médicos, engenheiros, advogados… O lobby está à solta nos corredores do Senado, que promete votar até outubro o projeto de reforma tributária sobre o consumo de bens e serviços. Não foi diferente na Câmara, onde o texto aprovado acabou incluindo uma série de exceções, com a redução da alíquota-padrão do novo IVA (que deve substituir os atuais PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) para vários setores.

A festa foi tanta que, na hipótese de manutenção do texto votado pelos deputados, o Brasil corre o risco de sair dessa reforma com uma das maiores alíquotas do mundo. Ou seja, os setores “sem lobby” teriam de pagar mais imposto para compensar o que o governo deixaria de arrecadar com as exceções.

Prática comum lá fora e aqui, não é crime fazer lobby, que significa defender uma ideia ou proposta em nome de alguém ou de um grupo maior. Em muitos casos, o que esses executivos têm levado para a avaliação dos senadores são estudos produzidos na Faria Lima e no Leblon, os dois principais eixos do mercado financeiro no País.

Não por acaso, todos esses estudos mostram que o IVA poderá pressionar esses setores com aumento da carga tributária, o que levaria no médio e longo prazos a reajustes de preços generalizados sobre produtos e serviços para o consumidor final.

O Senado tem o desafio de separar o que realmente é importante para a sociedade do lobby feito pelos setores financeiro e empresarial. Se não imperar o bom senso econômico na redação final da reforma tributária, essas pressões podem abrir caminho para um aumento considerável do IVA sobre bens e serviços, privilegiando diversos setores, em detrimento do restante da sociedade.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.