Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Me Engana que Eu Posto Por Coluna A verdade por trás de manchetes falsas que se espalham pela internet. Editado por João Pedroso de Campos.

Sergio Moro escreveu carta sobre ‘revolução’ ao povo brasileiro?

Circula em sites e no Whatsapp uma mensagem falsamente atribuída ao juiz federal em que ele falaria sobre a necessidade de ‘cada um fazer a sua parte’

Por Meire Kusumoto Atualizado em 25 jan 2018, 16h07 - Publicado em 25 jan 2018, 16h06

Uma carta endereçada ao povo brasileiro e erroneamente atribuída ao juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba, tem circulado na internet e em grupos do Whatsapp nos últimos dias. O texto fala que para fazer a “revolução” não é necessário pegar em armas, mas sim usar as redes sociais. “Basta cada um fazer a sua parte e ampliar. Tá na sua mão. Na nossa mão. Seja bastante coerente”, diz a mensagem.

Em seguida, a carta defende pontos como o voto facultativo, a eleição de apenas dois senadores por Estado, a redução da quantidade de ministérios e a extinção do horário eleitoral obrigatório. O texto termina pedindo que os leitores divulguem a mensagem entre seus contatos.

Trecho da carta erroneamente atribuída ao juiz federal Sergio Moro
Trecho da carta erroneamente atribuída ao juiz federal Sergio Moro //Reprodução

A carta, obviamente, não é de autoria de Moro, não raro vítima de boatos desse tipo – no mês passado, uma falsa corrente atribuída ao juiz pedia que o povo votasse nulo nas próximas eleições para tentar “acabar com os corruptos”. Basta fazer uma rápida busca na internet pelos termos “Sergio Moro”, “carta” e “revolução” para se perceber que somente sites e blogs pequenos e pouco conhecidos reproduziram esse conteúdo. A grande imprensa com certeza trataria do assunto caso a carta fosse realmente assinada por Moro – o que nunca aconteceu.

Continua após a publicidade

A lorota é tão mal construída que o mesmo texto chegou a circular recentemente nas redes sociais e no Whatsapp, mas com autoria atribuída à ministra e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia. A mentira era contada da mesma maneira, afirmando que a ministra havia escrito uma carta incentivando a “revolução” e publicado no jornal O Globo.

A única parte verdadeira de toda a história é que sim, a mensagem foi originalmente publicada no jornal carioca, mas não foi assinada nem por Cármen Lúcia, nem por Moro e tampouco é recente. A carta foi enviada pelo leitor Gil Cordeiro Dias Ferreira e publicada pelo jornal na seção Dos Leitores na edição de 18 de abril de 2011. A mensagem original, na integra, pode ser conferida por assinantes no acervo do jornal.

O início do texto é diferente daquele disseminado nas redes sociais. “Que venha o novo referendo pelo desarmamento. Votarei não, como da primeira vez, e quantas forem necessárias”, diz a mensagem. Em 2011, poucos dias antes de Gil Cordeiro enviar a carta ao jornal, o então presidente do Senado, José Sarney, havia afirmado que iria propor a realização de um novo referendo sobre o desarmamento no Brasil.

Ao longo dos anos seguintes, a mensagem foi republicada diversas vezes por blogs, geralmente atribuindo sua autoria a Gil Cordeiro. Com o passar dos anos e o surgimento de personagens como Cármen Lúcia e Moro, os loroteiros de plantão decidiram aumentar a mentira, incentivando sempre o compartilhamento da falsa notícia em grupos e redes sociais.

 

Agora você também pode colaborar com o Me Engana Que eu Posto no combate às notícias mentirosas da internet. Recebeu alguma informação que suspeita – ou tem certeza – ser falsa? Envie para o blog via WhatsApp, no número (11) 9 9967-9374.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)