Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

O novo tiro no pé de Bolsonaro, que imita Dilma

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 18 abr 2022, 19h25 - Publicado em 18 abr 2022, 11h02

Uma das coisas que Jair Bolsonaro mais gosta de fazer para medir sua popularidade é ir a jogos de futebol. A equipe do presidente, inclusive, sabe disso e se preocupa quando ele resolve – aqui e ali – aparecer em uma partida.

Pois bem.

Neste domingo, 17, Bolsonaro foi fortemente vaiado no jogo entre Santos e Coritiba, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Quem vê todos os vídeos com atenção percebe que, sim, havia alguns poucos apoiadores de Bolsonaro que evitaram vaias num uníssono ainda mais humilhante, mas os protestos contra o presidente foram claramente maiores.

É da tradição política a aparição de líderes em eventos públicos, como jogos de futebol, shows, concertos, mas isso pode se tornar um grande tiro no pé.

Em 2014, na abertura da Copa do Mundo no Brasil, a então presidente Dilma Rousseff colocou o governo numa enorme saia-justa ao ser vaiada de forma estrondosa em um estádio… e para o mundo inteiro ver.

Continua após a publicidade

Reportagens da época lembram que os xingamentos contra a presidente foram ouvidos em dois momentos: após a chegada de Dilma ao estádio e depois da execução do Hino Nacional.

Na ocasião, a equipe da ex-presidente ficou dividida se ela deveria ir ou não – até por se tratar de um evento internacional. Depois se arrependeram da decisão de colocá-la nos holofotes naquele dia.

Óbvio que, por ser uma Copa do Mundo, o problema se tornou mais grave, até pela repercussão internacional das vaias à presidente brasileira.

Mas, no âmbito nacional, Bolsonaro tomou uma invertida bastante importante neste domingo, ao ver o resultado in loco dos muitos erros de seu governo.

O presidente hoje vai se recuperando nas pesquisas, mas ainda tem uma avaliação muito negativa contra ele.

Continua após a publicidade

A última rodada do levantamento Ipespe mostrou que 52% dos brasileiros acham o atual governo ruim/péssimo, 20% avaliam como regular, enquanto 28% acham-no ótimo/bom.

Ontem, Bolsonaro deu azar.

Estava no lugar errado, tomou uma vaia que está viralizando na internet (ao contrário do que imaginou) e presenciou sua impopularidade.

Um tiro no pé em um ano eleitoral, que promete ser disputadíssimo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.