Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

O erro de Bolsonaro na Europa e a intromissão do seu filho Carlos

Ou... o presidente brasileiro confirmou em viagem internacional o que não queria confirmar

Por Matheus Leitão Atualizado em 23 fev 2022, 17h50 - Publicado em 17 fev 2022, 12h23

O que chamou a atenção nos pronunciamentos de Jair Bolsonaro e Viktor Orbán, primeiro ministro da Hungria, em Budapeste, foi a comitiva ministerial que entrou um pouco antes da fala dos dois chefes de Estado.

Junto com ministros de Estado, no mesmo nível de destaque na cerimônia, estava o vereador Carlos Bolsonaro. É uma total anomalia.

Apesar de ser filho do presidente e ser acusado de atuar no gabinete do ódio, Carlos Bolsonaro não era um integrante da equipe técnica.

Era o alto comissariado do governo federal, como o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, o general Braga Netto, outros ministros de Estado e… quem? O vereador filho Zero Dois de Bolsonaro.

Já no discurso, o que chamou a atenção foi a repetição do lema de inspiração fascista, pelos dois chefes de Estado. “Deus, Pátria e Família”, a mesma do líder integralista brasileiro do século passado, Plínio Salgado.

Eles acrescentaram “liberdade” depois do lema, mas tanto Bolsonaro, um defensor de ditaduras, quando Viktor Orbán, que usa o governo para reduzir todo o espaço da liberdade, inclusive de imprensa, dão obviamente outro significado à palavra.

Em resumo, apesar das duas viagens terem ocorrido para tentar mostrar que Bolsonaro não está isolado politicamente… o que se viu foi a confirmação desse isolamento – ao se reunir com os dois líderes exemplos de ameaças à democracia, Vladimir Putin e Viktor Orbán.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)