Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

O contra-ataque de Luís Roberto Barroso acerta Jair Bolsonaro

Entenda

Por Matheus Leitão Atualizado em 8 ago 2022, 14h55 - Publicado em 4 ago 2022, 13h34

Ao decidir prorrogar por mais 60 dias o inquérito da PF que investiga, com base nas informações da CPI da Covid-19, as ações de Jair Bolsonaro na pandemia, o ministro Luís Roberto Barroso acaba por contra-atacar o presidente. E da forma correta. Nos autos.

Nesta semana, Bolsonaro fez mais uma acusação infundada contra o magistrado, enquanto mirava também o seu colega de toga, Alexandre de Moraes – eterno alvo das investidas do presidente – e até o ministro Luiz Fux, com quem o político da extrema direita tem uma relação mais cordial.

Mas, ao falar de Barroso, relacionou levianamente o magistrado à derrota que sofreu no Congresso com a PEC do voto impresso. É só mais capítulo de sua luta para manter de pé o factoide contra as urnas eletrônicas.

“Interferência política é crime previsto na Constituição. O Barroso é um criminoso, depois ele vai para o Reino Unido falando que queriam ressuscitar o voto de papel como antigamente. Barroso, você é um mentiroso, um mentiroso.”

É a eterna tentativa de Bolsonaro de tirar o foco daquilo que o tem consumido, inclusive nas pesquisas: o péssimo governo que fez durante os últimos três anos e oito meses em que exerce o cargo de chefe do Executivo.

Continua após a publicidade

Ainda que esteja se recuperando em alguns segmentos nos levantamentos eleitorais, após a PEC das bondades ou kamikaze, Jair Bolsonaro está mesmo é com medo de não ir ao segundo turno, e lutando para se manter na disputa, enquanto Lula o deixa comendo poeira.

Enquanto isso, Barroso, por sua vez, fez dois movimentos. Primeiro, respondeu educadamente à acusação de que tinha atuado politicamente contra Bolsonaro. E disse que o mentiroso era ele, o presidente.

“Mentir precisa voltar a ser errado de novo. Compareci à Câmara dos Deputados, como [chefe] do TSE, para debater o voto impresso, atendendo três convites oficiais. E foi a própria Câmara que derrotou a proposta de retrocesso. Mas sempre haverá maus perdedores.”

Depois, nesta quinta-feira, 4, prorrogou a investigação que é um dos mais importantes calcanhares de Aquiles do mandatário: a série de erros, desatinos e crimes que ele cometeu contra a população brasileira na pandemia – especialmente aquela que atrasou em meses a chegada das vacinas.

Assim, com o inquérito em aberto, fica mais difícil esquecer – durante as eleições – a criminosa conduta do chefe de estado que mais negou a ciência durante a pior crise sanitária do último século no mundo. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)