Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

O choque provocado pelas pesquisas internas da campanha de Bolsonaro

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 26 out 2022, 21h14 - Publicado em 26 out 2022, 21h05

Pesquisas internas realizadas pela própria campanha de Jair Bolsonaro – os chamados trackings – começaram a mostrar uma leve queda do atual presidente e uma subida de Lula desde a última segunda-feira, 24.

Esse é um dos principais motivos para o início do “vale-tudo” turbinado por assessores do mandatário, que passaram a criar “factoides políticos” após a forte repercussão negativa do caso Roberto Jefferson, o delinquente aliado de Bolsonaro.

A maior aposta é na história do servidor Alexandre Machado, exonerado pelo Tribunal Superior Eleitoral por “indicações de reiteradas práticas de assédio moral, motivação política, que serão devidamente apuradas”.

O nome disso não pode ser lido de outra forma: má-fé.

Continua após a publicidade

Alexandre Machado, jornalista conhecido em Brasília por seus maus modos e imprecisão na apuração jornalística, acusou o TSE de demiti-lo porque teria alertado sobre problemas na transmissão da propaganda do presidente Jair Bolsonaro (PL) por empresas de rádio.

O TSE promete investigá-lo internamente e garante que as alegações feitas pelo servidor em depoimento à Polícia Federal “são falsas e criminosas e, igualmente, serão responsabilizadas”.

Como a coluna mostrou, esse é mais um tiro no pé de Bolsonaro, o presidente ruim de mira, revelado pelo ministro Alexandre de Moraes.

Continua após a publicidade

Desde esta terça-feira, 25, auxiliares mais próximos de Bolsonaro tentam criar uma fantasia de que o presidente teria sido prejudicado nas inserções de rádios em relação a Lula.

Não colou. Moraes negou o pedido da suposta acusação e mandou investigar o possível crime eleitoral.

Ocorre que o fator Alexandre Machado pode ser um problema. As investigações podem ligar a campanha bolsonarista ao ex-servidor do TSE. Nesse caso, o tiro vira uma granada contra a própria equipe bolsonarista, como revelou a coluna.

Continua após a publicidade

Ah, é importante lembrar: os trackings – os mesmo que motivaram o desespero da campanha do presidente que busca a reeleição – acompanham os números dos principais institutos de pesquisa do país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.