Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

O ataque vil de Magno Malta a ministros do Supremo

Entenda

Por Matheus Leitão Atualizado em 21 jun 2022, 10h05 - Publicado em 13 jun 2022, 20h13

Por conta do comportamento obsessivo e premeditado do presidente da República contra o Supremo, bolsonaristas amontoados em qualquer evento passam boa parte do tempo falando mal de ministros da corte ou alimentando as mais bizarras teorias da conspiração sobre togas e comunismo.

Neste fim de semana, contudo, Magno Malta passou dos limites durante palestra na Cpac Brasil, um instituto conservador-liberal presidido pelo deputado Eduardo Bolsonaro, que organiza eventos para propagar as “ideais” da extrema-direita.

É que o ex-senador aproveitou o palanque para fazer um ataque contra quatro magistrados da corte – Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso -, sendo um deles vil, daqueles que demonstram até onde pode ir um político que busca, a qualquer custo, voltar à arena.

O ex-senador afirmou que:

Alexandre de Moraes “vende a mãe para botar a toga nas costas”;

Edson Fachin “tem trabalhado diuturnamente para fazer ataques vis à democracia”;

Rosa Weber “disse que o ativismo judicial é inaceitável” (o que seria uma contradição diante do comportamento dos seus colegas de toga);

E que Luís Roberto Barroso “bate em mulheres”.

Continua após a publicidade

Nenhuma das afirmações é verdadeira, mas a última é ainda pior.

Magno Malta usou uma acusação falsa contra o ministro Barroso, que terminou ruim para uma destrambelhada. Ela perseguia o magistrado e outros servidores públicos (sem fundamento) e acabou  investigada por isso.

O ex-senador é daqueles atrapalhados na vida pública, que erram bastante em suas apostas políticas, e acabam renegados e no fundo poço, tentando se reerguer.

Para isso, fazem qualquer negócio, inclusive o serviço sujo de espalhar fake news contra ministros do Supremo, em prol do bolsonarismo, com o objetivo de voltar ao palanque do presidente da República.

Outrora abandonado por Jair Bolsonaro e por seus familiares, depois de chegar a ser cotado para o posto de vice-presidente no lugar de Hamilton Mourão, Magno Malta foi esquecido e escanteado por apostar que seria reeleito senador pelo Espírito Santo, e tomar de goleada de Fabiano Contarato.

É que, entre outras coisas, o “pastor” Magno Malta nunca teve fé na vitória de Jair Bolsonaro em 2018 e acabou se tornando pernona non grata por isso.

Ainda assim, se rastejando por Jair, Flávio, Eduardo e Carlos, o ex-senador que busca voltar ao Congresso neste ano eleitoral ressurgiu da pior forma: com mentiras contra a mais alta corte do país.

Esse é um dos políticos que sonham em presidir o Congresso Nacional brasileiro.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)