Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Guedes versus Guedes: a proposta do ministro não fez sucesso em casa

Irmã do ministro da Economia, que representa universidades particulares, criticou a proposta de substituição do PIS e da Cofins: setor se sente "abandonado"

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 jul 2020, 09h27 - Publicado em 23 jul 2020, 07h36

A proposta do governo de criar a Contribuição sobre Bens e Serviços foi criticada por ninguém menos que a irmã do ministro da Economia, Paulo Guedes. Beth Guedes é presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e disse ao jornal Valor Econômico que o governo “está criando o caos na área da educação”.

A contribuição vai substituir o Pis e a Cofins, que juntas têm hoje uma alíquota de 3,65% e 9,25%. Na maioria dos estabelecimentos particulares paga-se a alíquota menor, mas agora o percentual para todos será de 12%. Beth Guedes afirmou que isso será o fim do ProUni, pelo qual as escolas privadas pagam apenas 3%. E mais, a irmã do ministro disse que o setor se sente “abandonado” pelo governo.

ASSINE VEJA

Crise da desigualdade social: a busca pelo equilíbrio Leia nesta edição: Como a pandemia ampliou o abismo entre ricos e pobres no Brasil. E mais: entrevista exclusiva com Pazuello, ministro interino da Saúde ()
Clique e Assine

Na verdade, Beth Guedes tem companhia. Existem vários setores fazendo as contas rapidamente e concluindo que terão que pagar mais imposto com essa primeira parte da reforma tributária que o governo quer enviar em partes, no estilo Jack.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.