Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Bolsonaro não foi derrotado

Presidente teve vitórias mesmo com a rejeição do voto impresso. Entenda quais são elas…

Por Matheus Leitão 11 ago 2021, 08h35

É inacreditável que o governo Bolsonaro, mesmo diante de tantos revezes, ainda consiga angariar 229 votos a favor em uma matéria esdrúxula como o retorno do voto impresso.

A proposta só não passou porque precisava de 308 votos, por ser uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional). Outros 218 deputados votaram contra, e um parlamentar se absteve.

É assustadora, para não dizer outra coisa, a força que Jair Bolsonaro ainda tem no Congresso, com a popularidade em queda e a economia em frangalhos.

Parte deste “sucesso” tem a ver com a aliança junto ao presidente da Câmara, Arthur Lira, que tem o centrão na mão. A outra parte é o fracasso da oposição, claramente sem um trabalho organizado.

Um dos aliados da gestão Bolsonaro na Câmara, deputado Vitor Hugo, tentou adiar a votação nesta terça-feira, 10, porque o governo tinha em mente que poderia virar ainda mais votos.

Diante dessa votação, os números enterram qualquer possibilidade de impeachment no momento. A conta é simples. Dilma Rousseff não conseguiu somar 177 votos, Bolsonaro ainda tem 229.

A matéria foi arquivada, mas o que fica agora é uma pergunta: O que será que o presidente Jair Bolsonaro vai inventar desta vez para manter a tensão?

Continuará a forçar a mão contra o processo eleitoral de 2022, mesmo acuado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF)? Alguma coisa o presidente vai inventar. Podem esperar.

Continua após a publicidade

Publicidade