Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

As qualidades e as lacunas do esboço do programa de governo de Lula

Entenda

Por Matheus Leitão Atualizado em 7 jun 2022, 09h59 - Publicado em 6 jun 2022, 19h19

O esboço do programa de governo divulgado pelo PT nesta segunda, 6, resgata bons momentos de gestões anteriores, toca em temas necessários, mas deixa lacunas em questões importantes.

O documento se escora no passado para apontar um futuro ao pais, exaltando o pré-sal e o Bolsa Família, considerados trunfos de gestões petistas anteriores. “O pré-sal será novamente um passaporte para o futuro”, aponta. Em outro momento, afirma que o Bolsa Família será “renovado e ampliado”. O programa social, considerado referência no mundo, foi extinto no atual governo.

O PT também fez questão de enfatizar a questão econômica no esboço, uma escolha estratégica que faz muito sentido, considerando a situação crítica que o país vive.

O combate à fome e ao desemprego devem ser prioridade para resgatar a dignidade de milhões de brasileiros que sofreram (e ainda sofrem) com a pandemia.

Apesar de acertar ao falar da crise econômica, o partido deixa uma lacuna ao dizer que é contra o teto de gastos – sem esclarecer qual será o novo parâmetro fiscal em um eventual governo Lula.

Seria melhor se tivessem dito o que será colocado no lugar do teto de gastos, já que a ferramenta é importante para a estabilidade econômica.

Além disso, o PT fala em intervenção no câmbio, assunto que não agrada o mercado financeiro e pode ser visto de forma negativa.

Continua após a publicidade

O objetivo do partido de Lula com o esboço é preencher um vácuo deixado pelo governo Bolsonaro, que vai muito mal na condução do país.

Em alguns pontos, o documento é verdadeiro, como quando enaltece a importância dos órgãos de controle e das instituições.

Vale lembrar que o presidente Jair Bolsonaro tem interferido na Polícia Federal, desrespeitou a lista tríplice usada há anos para escolher o chefe do Ministério Público e permitiu o fechamento do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Nas gestões petistas, a PF manteve sua autonomia, a lista tríplice sempre foi respeitada e não houve tentativa de acabar com órgãos de controle como o Coaf.

O atual governo, que se vendeu como liberal, não conseguiu realizar as grandes privatizações que prometeu. Talvez consiga, ao apagar das luzes, viabilizar a privatização da Eletrobras, com muito custo.

O PT, no esboço do programa, já deixa claro que é contra a privatização da Eletrobras, dos Correios e da Petrobras.

Outro tema importante abordado pelo documento é a defesa do meio ambiente. Num momento em que o Brasil é visto com maus olhos, com os índices recordes de desmatamento, o PT enfatiza a importância de defender a Amazônia e outros biomas.

O documento atenua o que tem sido dito sobre controle da imprensa, mas deixa ainda uma dúvida sobre o que o partido pretende ao falar em “regulamentação dos marcos legais dos meios de comunicação”, no item de número 90.

O esboço tem acertos e falhas, mas poderia ter sido mais claro em assuntos polêmicos e que podem gerar confusão na cabeça do eleitor. O que fica para o público é que o partido de Lula quis trazer à memória dos brasileiros o que deu certo nos governos anteriores e relembrar a grave crise econômica que estamos enfrentando e que é a causa de diversos outros problemas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)