Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Marcela Rahal

Por Marcela Rahal
Jornalista, repórter e apresentadora. Blog de informação e análise do cenário político nacional
Continua após publicidade

Integrantes do PT veem politização em nomeação de Pimenta

Ministro da Secom foi escolhido por Lula para coordenar as ações na tragédia do RS

Por Marcela Rahal Atualizado em 15 Maio 2024, 14h56 - Publicado em 15 Maio 2024, 12h09

A nomeação do ministro Paulo Pimenta, chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, para ser a autoridade federal do governo no Rio Grande do Sul, gerou uma série de críticas dentro do próprio partido. Parlamentares do PT e integrantes do governo temem que a nomeação possa gerar ruídos com o governador Eduardo Leite (PSDB).

A avaliação é de que Pimenta, que tem pretensões políticas no estado, pode politizar o debate sobre as ações que precisam ser feitas para ajudar o estado castigado pelas fortes chuvas que atingiram a região. Mais de 2 milhões de pessoas foram impactadas pelas enchentes. 149 pessoas morreram e 108 estão desaparecidas.

Ainda com grande parte dos municípios debaixo d’água e sem ter a real dimensão dos custos e ações que precisam ser feitas, a parceria que vem sendo feita entre os governos federal e estadual pode ser afetada. 

Um importante nome do PT disse à coluna que a nomeação foi “inadequada”. Outro integrante do governo admitiu que a indicação poderia ser menos politizada, mas ponderou que é difícil “achar um nome experiente para um momento de crise nessa proporção”.

Continua após a publicidade

Dentro da base, a repercussão também foi ruim. “Foi lançado a governador”, afirmou um dirigente de partido.

Mas também teve gente que defendeu a decisão de Lula, como a presidente da sigla, a deputada federal Gleisi Hoffmann, que usou as redes para apoiar o chefe da Secom: “A atenção e os esforços do ministro Paulo Pimenta foram essenciais para a mobilização da solidariedade e dos recursos federais para o Rio Grande do Sul nessa tragédia. Faz muito bem o presidente Lula ao nomeá-lo ministro extraordinário para coordenar os trabalhos de emergência e reconstrução do estado”, escreveu no X.

O governador do Rio Grande do Sul disse que só soube da nomeação de Pimenta pela imprensa. O ministro deve se afastar da Secom para assumir o Ministério Extraordinário de Apoio à Reconstrução do RS que ainda será criado para coordenar as ações no estado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.