Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

STF reforça que fake news e abuso de poder não serão tolerados na eleição

Derrotas de deputados bolsonaristas em decisões do Supremo mostram que a Corte protagonizará uma feroz temporada de caça às notícias falsas

Por Victoria Bechara 10 jun 2022, 14h38

A derrota de parlamentares bolsonaristas no Supremo Tribunal Federal reforça o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral e indica que fake news e abuso de poder não serão tolerados nas eleições deste ano. Por três votos a dois, o STF manteve nesta sexta-feira (10) a cassação do deputado federal bolsonarista Valdevan Noventa (PL-SE). Na terça-feira, o Supremo já havia contrariado a decisão monocrática do ministro Kassio Nunes Marques, preservando o ato que cassou o deputado estadual Fernando Francischini (União Brasil-PR). 

Noventa foi condenado pelo TSE por compra de votos e abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 2018. No julgamento no STF, Nunes Marques e André Mendonça votaram contra a cassação. O argumento é que a decisão do TSE foi baseada em uma regra estabelecida apenas em 2020, e não poderia ser aplicada para um caso que ocorreu nas eleições de 2018. Os magistrados, no entanto, foram vencidos por Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. 

Já Francischini foi condenado após a realização de uma live nas redes sociais, no dia do pleito de 2018, na qual alegou que as urnas eletrônicas teriam sido fraudadas. Ele foi o primeiro parlamentar a ser cassado por espalhar notícias falsas no Brasil. As decisões do TSE e STF abrem espaço para que outros políticos possam ser punidos por disseminação de fake news nas eleições de 2022, ano em que se intensificaram os ataques ao sistema eleitoral brasileiro. O recado já havia sido dado pelo ministro Alexandre de Moraes e depois reforçado pelo presidente do Tribunal Eleitoral, Edson Fachin. “Quem usar fake news e falar de fraude nas urnas terá seu registro cassado”, declarou. 

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.