Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse e Diogo Magri. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Saiba como fazer o teste de Covid-19 pelo plano de saúde, segundo a ANS

Convênios precisam cobrir o teste rápido tanto para indivíduos com sintomas gripais e respiratórios quanto para quem precisa rastrear o vírus para trabalhar

Por Da Redação 20 jan 2022, 09h42

Uma resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicada nesta quinta-feira, 20, no Diário Oficial da União, colocou os testes rápidos para a diagnóstico da Covid-19 na lista de procedimentos que os planos de saúde têm obrigação de cobrir. As regras têm início imediato, e segundo a ANS, a decisão “considerou o contexto atual, que conta com a circulação e rápido crescimento de casos relacionados à nova variante, Ômicron”, em meio a uma escassez de testes em farmácias e na rede pública.

O teste é o chamado teste rápido (detecção do antígeno SARS-CoV-2), que fica pronto em 15 minutos. O acesso é para indivíduos com planos de saúde com segmentação ambulatorial, hospitalar ou referência, e pode ser solicitado tanto por pessoas com sintomas respiratórios mais graves como por aqueles que precisam rastrear a doença para poder voltar a trabalhar, por exemplo. Mas os convênios só são obrigados a pagar o exame caso haja pedido de um médico.

Há duas formas de obter o pedido médico. A primeira é apresentar algum sintoma que possa indicar a doença. A segunda é ter sido exposto à doença. Veja as orientações:

Em caso de sintomas:

Um dos motivos para o médio solicitar o teste é o paciente presentar quadro de Síndrome Gripal (com febre, calafrios, dores de garganta e cabeça, tosse, coriza e falta de olfato e paladar como os sintomas) por pelo menos dois dias, e o teste só pode ser feito até o sétimo dia de sintomas, a chamada “janela ótima” para a detecção. Se o paciente for criança, outro sintoma é a obstrução nasal. Em idosos, vale ainda desmaios, confusão mental, sonolência, falta de apetite e irrigação.

O teste também pode ser pedido pelo médico se o paciente tiver Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que tem como sintomas falta de ar, dor no tórax, coloração azulada em lábios ou rosto e saturação de oxigênio menor do que 95%.

Em caso de exposição ao vírus:

Os planos devem cobrir o teste em pessoas que não têm sintomas, mas se encontram em alguma dessas situações:

Continua após a publicidade

– Se teve contato com pessoas com casos confirmados de infecção

– Crianças com menos de 2 anos

– Indivíduos que tenham realizado, há menos de 30 dias, RT-PCR ou teste rápido para detecção de antígeno para SARS-CoV-2 cujo resultado tenha sido positivo

Indivíduos cuja prescrição tenha finalidade de rastreamento da doença, retorno ao trabalho, controle de cura ou suspensão de isolamento

De posse do pedido, o paciente deve seguir as orientações do próprio plano de saúde sobre onde e como realizar o exame, que varia de operadora para operadora de saúde. A ANS recebe reclamações sobre falhas de atendimento pelo telefone 0800 70 19 656 ou em seu site (www.ans.gov.br).

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês