Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

RS: Lula alerta para ‘provocadores baratos’ e gente ‘vendendo mentiras’

Em reunião virtual com Eduardo Leite, presidente critica divulgação de fake news sobre tragédia no Sul

Por Valmar Hupsel Filho 13 Maio 2024, 17h59

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta segunda-feira, 13, as pessoas que têm espalhado fake news sobre o trabalho dos órgãos públicos para atender a população do Rio Grande do Sul e amenizar os efeitos da enchente que assola o estado desde o início do mês. “Além da catástrofe, além da bagaceira toda, a gente ainda tem um grupo de negacionistas, de pessoas que tentam destruir as coisas boas que estão acontecendo”, disse o presidente durante reunião virtual entre representantes dos três Poderes da esfera federal com o governador Eduardo Leite, em que foram discutidas ações a serem implementadas no estado.

“Tem muita gente, voluntário, militares, se matando para trabalhar, para ajudar, e tem pessoas que continuam vendendo mentiras, continuam vendendo desgraça, continuam inventando histórias”, disse Lula no final da reunião. Segundo o presidente, é preciso ter “cuidado” para que “provocadores baratos” não levem alguma vantagem. “Quem tem que ganhar é o povo do Rio Grande do Sul. Quem tem que ganhar agora são mulheres, são crianças, os senhores aposentados, trabalhadores, e temos que garantir que eles sejam tratados com a maior dignidade”, afirmou.

A divulgação de notícias falsas relacionadas à catástrofe no Rio Grande do Sul tem sido uma preocupação a mais para autoridades envolvidas no trabalho de redução de danos e atendimento à população atingida. Nas últimas semanas, circularam desinformações, por exemplo, de que comboios com doações de mantimentos para a população atingida estavam sendo barrados em postos de fiscalização por excesso de peso ou ausência de nota fiscal, o que foi negado por autoridades. A fake news, no entanto, foi disseminada inclusive por parlamentares bolsonaristas nas redes sociais.

Nesta segunda-feira, a desinformação justificou a apresentação de um projeto de lei que criminaliza e prevê punição de quatro a oito anos para quem “criar óbice ou embaraço fiscal, sanitário, ambiental ou administrativo, impedir ou dificultar serviço de combate ao perigo, de socorro ou salvamento, ou a entrega de donativos ou o resgate às vítimas durante a vigência do estado de calamidade pública”. O projeto é assinado pelo deputado Coronel Meira (PL-PE), e endossado por Carla Zambelli (PL-SP), Zé Trovão (PL-SC), Júlia Zanatta (PL-SC) e Marcos Feliciano (PL-SP).

Continua após a publicidade

Anúncio

Na reunião desta segunda-feira, 13,  o governo federal anunciou que suspenderá a dívida do Rio Grande do Sul com a União por três anos, o que deve aliviar o governo gaúcho em 11 bilhões de reais. Além disso, os juros do período referentes à dívida serão perdoados pelo governo – ou seja, a taxa de juros cobrada sobre as parcelas não pagas cairá para zero, o que significa mais 12 bilhões de reais. Na semana passada, o governo federal publicou uma Medida Provisória que disponibiliza outros 12 bilhões de reais para ações de enfrentamento no estado.

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.