Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pastores iniciam campanha para reinterpretar fala de Mendonça sobre gays

Em vídeo, pastor Silas Malafaia afirma que Mendonça "deu uma cama de gato" e driblou a opinião pública durante sabatina no Senado

Por Reynaldo Turollo Jr. Atualizado em 2 dez 2021, 12h37 - Publicado em 2 dez 2021, 10h30

Como anunciado pelo deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) logo após a sabatina de André Mendonça no Senado, pastores evangélicos iniciaram nesta quinta-feira, 2, uma campanha para desdizer o que foi dito aos senadores pelo indicado de Jair Bolsonaro ao STF (Supremo Tribunal Federal). Em vídeo que começou a circular nesta manhã, o pastor Silas Malafaia afirma a seus seguidores que, ao responder que defenderá “o direito constitucional” do casamento entre pessoas do mesmo sexo, Mendonça fez “uma cama de gato”, pois a Constituição só fala expressamente em casamento entre homem e mulher.

“Essa história de que André Mendonça é a favor da união de pessoas do mesmo sexo, no parâmetro da Constituição, André Mendonça deu uma cama de gato. Ele sabia que ele ia sofrer pressão. Uma saída espetacular, porque a Constituição só prevê casamento de homem com mulher”, sustenta Malafaia no vídeo. A interpretação do pastor é semelhante à do deputado Sóstenes Cavalcante, que classificou a resposta como “tecnicamente perfeita”, por supostamente ter driblado a opinião pública.

A frase de Mendonça durante a sabatina, em resposta a um questionamento do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), foi a seguinte: “Reitero meu compromisso com a Constituição, a Bíblia no Supremo é a Constituição […]. O casamento civil, eu tenho minha concepção de fé específica. Agora, como magistrado da Suprema Corte, eu tenho que me pautar pela Constituição”, disse. O senador, então, refez a pergunta, e Mendonça respondeu: “Eu defenderei o direito constitucional do casamento civil das pessoas do mesmo sexo”.

Publicidade