Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O sonho da terceira via que vai além da aliança MDB-PSDB

Entre os tucanos, há quem acredite que, uma vez formalizada, a coalizão poderá atrair antigos aliados se chegar a um consenso sobre a candidatura

Por Da Redação Atualizado em 20 Maio 2022, 15h15 - Publicado em 20 Maio 2022, 12h06

Políticos que viram a apresentação da pesquisa encomendada por PSDB, MDB e Cidadania para medir o potencial de João Doria e Simone Tebet na disputa presidencial dizem que os resultados foram claros ao indicar que não há espaço para mais de uma candidatura na centro-direita. No caso de cada partido lançar uma candidatura própria (PSDB com Doria e MDB com Tebet, além de outros nomes que tentam se viabilizar) e diante da baixa pontuação desses nomes nas pesquisas, as chances de um deles se tornar competitivo tende a ser ainda menor.

É por isso que no PSDB ainda há quem sonhe com um retorno do União Brasil ao grupo dos três partidos que tentam viabilizar candidatura única. O União abandonou as conversas com PSDB, MDB e Cidadania no início de maio e indicou que lançará Luciano Bivar, presidente do partido, como o seu pré-candidato. Quem vocaliza esse sonho é o líder tucano no Senado, Izalci Lucas, que também é pré-candidato ao governo do Distrito Federal. A precondição, na avaliação do senador, seria chegar a um consenso entre os três partidos para dialogar com outras siglas.

“Fechando essa aliança aqui (entre MDB, PSDB e Cidadania) com candidatura única, há possibilidade de os outros aderirem novamente”, diz Izalci. “O Ciro (Gomes, do PDT) já está definido que vai até o final, mas ele é um nome que disputa votos com a esquerda, com o PT. Acho que o próprio União Brasil pode repensar sua posição”, acredita.

Os três partidos vão levar a pesquisa para as suas respectivas executivas na próxima terça-feira, 24. Segundo Roberto Freire, presidente do Cidadania, os três dirigentes máximos de cada partido chegaram a um consenso sobre os resultados da sondagem — que seria em torno da candidatura de Tebet — em reunião ocorrida na quarta-feira, 18, mas que caberá a cada sigla discutir isso internamente.

“Nós três chegamos a um consenso, só que não somos nós que vamos decidir.  O que nós aqui acordamos é que vamos levar nossa disposição cada um a seu partido, e dar tempo ao partido. Vamos colocar isso na terça-feira para nossas direções partidárias”, disse Freire ao final da reunião de quarta-feira.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)