Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

O pacote de bondades de Lira a deputados às vésperas da eleição na Câmara

Franco favorito à reeleição, presidente da Casa assinou aumentos em cota parlamentar e verba para despesas com moradia e combustíveis

Por Redação
25 jan 2023, 12h13

Favoritíssimo à reeleição para a presidência da Câmara, com apoios de dezenove partidos da esquerda à direita, passando obviamente pelo Centrão, Arthur Lira (PP-AL) turbinou sua campanha com a popularíssima (entre os deputados) pauta corporativista da Casa. Nos últimos dias, Lira assinou aumentos em temas sensíveis aos interesses das excelências: cota parlamentar, auxílio-moradia e valores para custear despesas com moradia e combustíveis.

Sob justificativa de “adequar o valor da Cota Para o Exercício da Atividade Parlamentar aos maiores custos relacionados ao exercício do mandato, que são deslocamento e habitação”, passou de 1.747 reais para 4.148 reais mensais a verba disponível para complemento do auxílio-moradia de deputados que não usem imóveis funcionais – ou seja, dinheiro para cobrir despesas que ultrapassem o valor do benefício, que é de 4.253 reais. Com o reajuste no complemento, o auxílio pode chegar a 8.401 reais por mês.

Na seara dos “deslocamentos”, cada parlamentar passou a poder reembolsar até 9.392 reais mensais em despesas com combustíveis, rubrica que disponibilizava 6.000 reais para reembolsos antes da canetada de Arthur Lira.

Entre as mudanças feitas por Lira, aumentou-se também o valor da cota parlamentar, o “cotão”, dinheiro usado pelos deputados para despesas do mandato. Além de combustíveis, o cotão inclui passagens aéreas, aluguel de escritório de apoio nos estados, alimentação e aluguel de carro, entre outros – os valores variam de estado para estado, considerando custos das passagens a Brasília, e não eram reajustados desde 2016.

A menor cota, do Distrito Federal, passou de 30.788,66 reais para 36.852,46 reais; a maior, de Roraima, foi de 45.612,53 reais para 51.406,33 reais.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.