Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Nas cartas escritas a mão por Lula, Fernando Haddad é ‘Hadad’

Ex-presidente errou ao escrever o nome do presidenciável em três manuscritos divulgados nas redes sociais. FHC também já escreveu nome de Alckmin errado

Por Da Redação Atualizado em 25 set 2018, 19h19 - Publicado em 25 set 2018, 16h25

Não são somente alguns eleitores petistas que têm dificuldades para falar e escrever o nome do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad. “Andrade”, como o presidenciável é chamado por alguns, é “Hadad” nos bilhetes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, padrinho e fiador de sua candidatura. Em ao menos três cartas escritas a mão por Lula, o ex-presidente grafou o nome de Haddad de maneira errada, com um “d” a menos.

Em bilhete divulgado nesta terça-feira 25, o ex-presidente afirma: “fui impedido e [sic] ser candidato e estar nas ruas, com o povo, mas o companheiro Hadad me representa. Eu tenho total confiança nele e ele vai fazer o Brasil ser feliz de novo com o nosso voto”.

Reprodução/Twitter

No último dia 19, depois da divulgação da pesquisa Ibope que mostrou Haddad com 19% das intenções de voto, Lula escreveu que “na medida em que Hadad vai andando pelo Brasil, as pesquisas vão refletindo a memória viva do povo brasileiro do que foram nossos governos”.

Reprodução/Twitter
Continua após a publicidade

Já no dia 15 de setembro, quatro dias após o lançamento de Fernando Haddad como candidato, o ex-presidente anotou que “a eleição do Hadad vai ser a resposta do povo brasileiro ao golpe. Aos que sabotaram a democracia e tentaram impedir a soberania do voto popular”.

Reprodução/Twitter

Errar a grafia do nome do candidato de seu partido à Presidência, contudo, não é um privilégio de Lula. Ao declarar apoio ao tucano Geraldo Alckmin por meio de sua conta no Twitter, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) escreveu “Alkmin” em dois tuítes:

Continua após a publicidade

Publicidade