Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Governo manda Meta interromper treinamento de IA com dados de usuários

Decisão mira nova política de privacidade da companhia, -- dona do Facebook, Instagram, Messenger e Threads -- e alerta para risco a crianças e adolescentes

Por Bruno Caniato Atualizado em 2 jul 2024, 16h33 - Publicado em 2 jul 2024, 11h15

Nesta terça-feira, 2, o governo federal determinou que a Meta suspenda o uso de dados pessoais dos usuários para treinamento de sistemas de inteligência artificial (IA). A decisão foi publicada pela Agência Nacional de Proteção de Dados (ANPD) e abrange todas as redes sociais controladas pelo conglomerado, como Instagram, Facebook, Messenger e Threads.

Na medida cautelar, a ANPD acusa a Meta de não esclarecer devidamente aos usuários as implicações e consequências de sua nova política de privacidade, que entrou em vigor na quarta-feira passada, 26. A legislação autoriza que todas as informações e conteúdos publicamente disponíveis e compartilhados pelos internautas sejam destinados pela empresa a treinar modelos de IA generativa — termo usado para nomear robôs que produzem textos, imagens, áudios e videos artificiais a partir de bases de dados.

“A Autoridade averiguou, ainda, que, embora os usuários pudessem se opor ao tratamento de dados pessoais, havia obstáculos excessivos e não justificados ao acesso às informações e ao exercício desse direito”, afirma a agência em nota. Além disso, o governo avalia que o “legítimo interesse” da empresa não pode se sobrepôr à proteção de informações sensíveis e que os usuários, ao compartilhar publicações destinadas a amigos, familiares e comunidade ao longo dos anos, não necessariamente esperavam que o conteúdo fosse empregado no treinamento de sistemas de IA.

Risco para crianças e adolescentes

Em particular, a ANPD se diz preocupada com o uso indiscriminado de vídeos, imagens e publicações compartilhados por crianças e adolescentes que utilizam as redes para alimentar os modelos de IA generativa, ressaltando que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) determina “a adoção de salvaguardas e medidas de mitigação de risco” no tratamento de informações que envolvem esses grupos.

Nos últimos anos, a utilização de algoritmos para gerar imagens artificiais de crianças e adolescentes vem gerando crescente alerta entre usuários ao redor do mundo, especialmente quando simulam pessoas reais. Mesmo no Brasil, já são frequentes as denúncias de compartilhamento de deepfakes — como são chamados os vídeos e fotos de teor pornográfico produzidos digitalmente — que envolvem jovens menores de idade.

Continua após a publicidade

O que diz a Meta

Em nota, a Meta se diz “desapontada” com a medida cautelar da ANPD, que qualifica como “retrocesso para a inovação”, e reforça que as abordagens da empresa respeitam “as leis de privacidade e regulações no Brasil”.

Leia, na íntegra, o comunicado sobre a decisão enviado à imprensa pela Meta:

“Estamos desapontados com a decisão da ANPD. Treinamento de IA não é algo único dos nossos serviços, e somos mais transparentes do que muitos participantes nessa indústria que têm usado conteúdos públicos para treinar seus modelos e produtos. Nossa abordagem cumpre com as leis de privacidade e regulações no Brasil, e continuaremos a trabalhar com a ANPD para endereçar suas dúvidas. Isso é um retrocesso para a inovação e a competividade no desenvolvimento de IA, e atrasa a chegada de benefícios da IA para as pessoas no Brasil”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.