Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Gonet pede que pais de Marielle também sejam indenizados pelo crime

Aditamento foi feito nesta sexta na denúncia contra os mandantes do assassinato; pedido inicial havia incluído apenas filha e companheira da vereadora

Por Isabella Alonso Panho Atualizado em 17 Maio 2024, 17h08 - Publicado em 17 Maio 2024, 15h58

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, apresentou nesta sexta-feira, 17, um aditamento (espécie de emenda) à denúncia criminal relativa ao assassinato da vereadora Marielle Franco pedindo para que os pais dela, Antônio da Silva Neto e Marinete da Silva, também sejam indenizados em danos morais e materiais pelo crime.

Ao ofertar a denúncia, a Procuradoria-Geral da República (PGR) já havia pedido que fossem indenizados Luyara Francisco dos Santos (filha de Marielle), Mônica Benício (companheira), Arthur Arnaus Reis Matias, Agatha Arnaus Reis (respectivamente, filho e viúva de Anderson) e Fernanda Gonçalves Chaves, ex-assessora de Marielle que estava no carro no momento do crime e que sobreviveu ao atentado.

O pedido é para que, no final do processo, se houver uma sentença condenatória, os acusados também tenham de pagar uma indenização em dinheiro para as famílias das vítimas. As investigações apontam como mandantes do crime os irmãos Domingos Brazão (conselheiro do Tribunal de Contas do Rio) e Chiquinho Brazão (deputado federal), com participação de Rivaldo Barbosa (delegado e ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro).

Além deles, também respondem Robson Calixto Fonseca (ex-assessor de Domingos Brazão), Major Ronald (ex-policial militar e miliciano), Ronnie Lessa e Elcio de Queiroz — apontados como executores do crime, ambos presos desde 2019. Os dois acabaram fazendo um acordo de colaboração premiada, que acelerou o trabalho dos investigadores.

Continua após a publicidade

Diferentemente de processos cíveis, em que o pedido de dano moral e material já precisa ter um valor definido, a indenização cível em processo criminal tem seu valor arbitrado pelo juiz que cuida do processo e não tem um limite previsto em lei. No caso do assassinato da vereadora Marielle Franco, é o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) que vai decidir esse valor.

O relator do caso é o ministro Alexandre de Moraes. As investigações do crime tiveram significativo avanço depois de 2023, quando o caso foi federalizado e saiu das mãos da Polícia Civil do Rio de Janeiro para ser investigado pela Polícia Federal.

Os irmãos Brazão, presos em março, são apontados pelos agentes da PF como mandantes. O motivo do crime seria a intervenção da vereadora no zoneamento de áreas da capital fluminense dominadas pela milícia — o que atrapalharia os negócios dos irmãos. Semanas antes do crime, a Câmara do Rio, que era coabitada por Marielle e Chiquinho, discutia o destino de uma área na Zona Oeste da cidade. A psolista defendia que fosse destinada à moradia popular, enquanto Brazão advogava para que a área fosse categorizada como comercial.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.