Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Doria faz dois lances cirúrgicos após ser confirmado nas prévias do PSDB

Governador de SP garante ao seu lado Henrique Meirelles, que é próximo de Lula e Kassab, e faz aceno de reconciliação a Eduardo Leite, seu rival na disputa

Por Da Redação Atualizado em 29 nov 2021, 14h52 - Publicado em 29 nov 2021, 14h50

Nos primeiros dias após a vitória nas prévia e a indicação para ser o pré-candidato do PSDB à Presidência da República em 2022, o governador de São Paulo, João Doria, já fez dois movimentos cirúrgicos no xadrez da consolidação da sua candidatura.

O primeiro foi convidar o atual secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, para integrar a equipe que vai orientá-lo na formulação do programa econômico de sua candidatura.

Com isso, Doria garante o ex-ministro da Fazenda ao seu lado, já que ele tem ligações com adversários políticos. Meirelles foi presidente do Banco Central no governo Lula e já foi alvo de especulações de que poderia voltar a contribuir com o petista. Meirelles também se filiou em fevereiro deste ano ao PSD de Gilberto Kassab, que articula a candidatura de Rodrigo Pacheco ao Planalto.

Outro lance acertado foi o convite imediato ao seu principal adversário nas prévias, Eduardo Leite, para integrar a coordenação de sua campanha. Embora o convite tenha sido rejeitado pelo governador gaúcho, o gesto de Doria foi interpretado como um sinal positivo de reconciliação interna em um partido que saiu fraturado das prévias. O tucano enviará o seu secretário, Wilson Pedroso, que coordenou a sua campanha nas prévias, ao Rio Grande do Sul na quarta-feira, 1º, para discutir uma pauta comum com Leite.

Continua após a publicidade

Publicidade