Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Daniel Silveira pede troca de tornozeleira por ela adquirir ‘vida própria’

Na mesma nota, defesa do parlamentar também pede o impeachment de Alexandre de Moraes

Por Da Redação
4 abr 2022, 11h08

O advogado de defesa do deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ) entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para substituir a tornozeleira eletrônica do seu cliente com a justificativa de que o aparelho teria adquirido “vida própria”. Na visão da defesa, há suspeitas de manipulação do equipamento, que levantaram “dúvidas quanto à [sua] integridade e confiabilidade”.

Em seu pedido, o advogado Paulo César Rodrigues de Faria escreve que Silveira relatou “ruídos estranhos” e “vibrações sem nexo ou causa”. “As circunstâncias de sua implementação, (…) aliadas aos eventos estranhos (…), provocou ‘desconfianças incontroláveis’ (…) ante a persecução pessoal em face do monitorado e meios nada ortodoxos”, assina ele. Ele levanta a suspeita de que a tornozeleira teria sido adulterada para produzir provar para “incriminá-lo a qualquer custo”.

Faria pede a troca imediata e o envio do equipamento à perícia, desde que isso não seja feito no Distrito Federal ou no Rio de Janeiro, em razão de “fatos pretéritos que põem em dúvida a imparcialidade desses órgãos”.

No mesmo documento, a defesa solicita a suspeição e o impedimento do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que determinou a implantação da tornozeleira em Silveira. O advogado classifica a atuação de Moraes como “persecução pessoal” e diz que ele pratica “atos que violam os princípios da imparcialidade”.

Daniel Silveira colocou a tornozeleira eletrônica na última quinta-feira, 31 de março, depois de passar a noite em seu gabinete na Câmara e dizer que não cumpriria a ordem do STF. O deputado mudou de ideia após Moraes estabelecer uma multa diária de 15 mil reais e o bloqueio das suas contas bancárias como garantias de que sua decisão seria cumprida.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.