Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CPI da Pandemia: a Prevent Senior parte para o contra-ataque na Justiça

Advogada responsável por dossiê contra o plano de saúde encaminhado à Comissão é alvo de ação por danos morais

Por Da Redação Atualizado em 27 fev 2022, 08h22 - Publicado em 26 fev 2022, 11h05

Uma das maiores empresas de planos de saúde do Brasil, a Prevent Senior adotou uma postura defensiva no final do ano passado ao se tornar um dos principais alvos da reta final da CPI da Pandemia, sendo colocada no banco dos réus por medicar pacientes com o ineficaz “kit covid” e de ter agido em cumplicidade com o governo federal para justificar o emprego de medicamentos como cloroquina via um “gabinete paralelo” ao Ministério da Saúde. A empresa sempre negou tudo e agora prepara uma série de ações contra profissionais responsáveis por acusações que considerou injustas. A primeira dessas ações foi protocolada na noite de sexta, 25,  no Tribunal de Justiça de São Paulo, citando a advogada Bruna Mendes dos Santos Morato. Ela provocou um enorme barulho em setembro ao levar à CPI um dossiê com denúncias de um grupo de ex-médicos da Prevent Senior e também depôs na comissão no papel de testemunha.

Segundo a ação movida contra a advogada, a Prevent Senior teria sido vítima de uma tentativa de achaque. Depois de ver frustrada a proposta de um acordo milionário com a companhia para resolver de forma amigável supostas pendências com um grupo de ex-médicos da empresa representados por ela (o valor seria de 3,5 milhões de reais), Bruno Mendes dos Santos Morato, movida pelo sentimento de vingança, procurou a Comissão do Senado para atacar o plano de saúde, “acusando-a de praticar ‘aberrações’ e de estar em um ‘mundo’ onde seriam supostamente aceitos ‘atos de crueldade’, falta de preocupação com a vida dos outros, economia de gastos, mesmo que isso resultasse na morte de milhares de pessoas, dentre outras acusações”.

O processo da Prevent Senior contra a advogada sustenta que Bruna Mendes dos Santos Morato ofereceu à CPI um dossiê com dados manipulados de forma a sustentar a acusação contra a empresa e conclui o seguinte: “Ficou evidenciado que a Ré praticou gravíssimos e reiterados ilícitos geradores de danos morais à Autora, por meio de seu deturpado depoimento junto à CPI da Pandemia e das demais publicações dele decorrentes, em que fez inúmeras acusações sem prova, empregou uma série de adjetivos ofensivos e desonrosos, promoveu teorias da conspiração, acusou a Autora da prática de diversos crimes, tudo como forma de represália à Prevent Senior, além de uma tentativa de se aproveitar dos holofotes daquela comissão parlamentar”, acusa a peça assinada pelo advogado Alexandre Fidalgo. Ao final, a empresa pede que  Bruna dos Santos Morato seja condenada a pagar uma indenização de 300 000 reais por danos morais.


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)