Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como uma aliança PSD-Tarcísio deve impactar a disputa pelo governo de SP

Além do fortalecimento do ex-ministro, um dos principais reflexos esperados do acordo é a resolução do impasse entre PSB e PT no estado

Por Redação 29 jun 2022, 14h20

Cada vez mais provável, o acordo do PSD de Gilberto Kassab com o ex-ministro Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) para a disputa pelo governo de São Paulo deve desencadear uma série de desdobramentos relevantes na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes.

O acerto seria um passo decisivo para desatar o nó envolvendo a candidatura do ex-governador Márcio França (PSB) e o PT, que tem o ex-ministro Fernando Haddad como postulante. França admitiu a interlocutores que, sem o apoio do PSD, fica difícil levar adiante seu projeto de se candidatar e torna-se mais palpável disputar o Senado na chapa de Haddad – movimento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem estimulado há meses.

Na composição com o PSD, o pré-candidato da sigla ao governo, Felício Ramuth, seria o vice do candidato do Republicanos e cogita-se que Kassab ocupe a suplência do apresentador José Luiz Datena (PSC) ao Senado. Antes do acerto ser sacramentado, quadros do PSD já atuam como coordenadores da campanha de Tarcísio, a exemplo do ex-deputado e economista Guilherme Afif.

Além de impulsionar um desfecho para o vai-não vai de França, a aliança PSD-Tarcísio obviamente fortalece o candidato bolsonarista ao governo paulista, em mais uma prova inequívoca do absoluto pragmatismo que reina entre as fileiras da sigla criada e comandada por Kassab. Embora admita se aliar a Lula em um segundo turno contra Jair Bolsonaro, afinal, o partido estará ao lado do bolsonarismo no maior colégio eleitoral do país, em uma disputa que, como o próprio Gilberto Kassab prevê, será polarizada entre Tarcísio e Haddad. Visto como favorito por Kassab, espera-se que o ex-ministro ajude a catapultar a eleição de deputados estaduais e federais do PSD. Este é o principal objetivo da legenda nos estados, onde seus líderes estão liberados a formatar alianças conforme as melhores conveniências eleitorais.

De quebra, ao dar peso ao palanque de Tarcísio e fortalecê-lo, o partido de Gilberto Kassab aumenta diretamente o grau de dificuldade para a campanha do governador Rodrigo Garcia (PSDB), ex-aliado de Kassab com quem ele rompeu há tempos. Em segundo lugar nas pesquisas, o ex-ministro é o principal obstáculo à chegada de Garcia ao segundo turno. O presidente do PSD não acredita que o desempenho do tucano vá ser alavancado por aquilo que é visto por aliados de Garcia como seu principal trunfo: a máquina estadual e um exército de prefeitos aliados.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)