Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como o lançamento da biografia de Lula irá ajudar o hacker da Lava-Jato

Fernando Morais, autor da obra sobre o ex-presidente, vai destinar a Walter Delgatti Neto a renda de noite de autógrafos em Araraquara, onde mora o hacker

Por Da Redação 29 nov 2021, 11h24

O escritor Fernando Morais, autor de Lula, a biografia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, encontrou um meio de ajudar o estudante de direito Walter Delgatti Neto, o Vermelho, que ganhou notoriedade ao vazar conversas no Telegram entre membros da Operação Lava-Jato.

Morais decidiu fazer uma noite de autógrafos em Araraquara, cidade onde Delgatti vive com parentes sob limitações impostas pela Justiça, como o uso de tornozeleira eletrônica e a proibição de dar entrevistas e acessar a internet – o que, segundo pessoas próximas ao hacker, tem criado dificuldades de subsistência para ele.

Morais, que abriu uma exceção para a iniciativa, já que afirma estar evitando esse tipo de evento público por causa da Covid-19, disse que irá doar a Delgatti o dinheiro dos direitos autorais dos exemplares vendidos na noite de autógrafos, que ocorrerá no dia 13 de dezembro, no auditório da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp.

 

“Dinheiro, que ele precisa, vai rolar pouco. Mas quero que o Brasil saiba da dívida que tem com esse garoto do interior de São Paulo. Sem a ousadia dele, Lula estaria preso até hoje”, afirmou Morais em seu perfil no Facebook – ele também divulgou uma chave pix para receber depósitos para Delgatti.

Recorte da capa biografia de Lula escrita por Fernando Morais, lançado pela Cia das Letras
Recorte da capa biografia de Lula escrita por Fernando Morais, lançado pela Cia das Letras Companhia das Letras/Divulgação

O volume 1 da biografia de Lula, lançada neste mês pela Companhia das Letras, retrata o período que vai da infância do petista até a anulação de suas condenações pelo Supremo Tribunal Federal em abril deste ano.

Continua após a publicidade

Publicidade