Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Chuvas chegam no tempo certo, e risco de apagão fica mais distante

ONS aponta cenário otimista com o início das precipitações em outubro; Furnas chega a 21%, cinco pontos percentuais a mais que às vésperas do apagão de 2001

Por Caíque Alencar Atualizado em 26 nov 2021, 10h52 - Publicado em 26 nov 2021, 10h51

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão federal responsável pelo acompanhamento da produção e distribuição de energia, já aponta um cenário de melhora nos reservatórios, o que diminui o risco apagão, uma possibilidade que se desenhava com força há cerca de dois meses.

O motivo é a chegada das chuvas no tempo correto, com o início das precipitações em outubro – no ano passado, elas começaram somente em dezembro. A boa notícia permitiu ao órgão fazer previsões de que, até o final deste mês, os reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN) atinjam 25,4% de suas capacidades.

Na represa de Furnas, um dos principais da Região Sudeste e do país, por exemplo, desde o início de outubro, o percentual de armazenamento do reservatório apresenta tendência de forte alta — atingiu 21,4% na terça-feira, 23. Na comparação com o indicador nesse mesmo período de 2001, véspera do apagão que assolou o país durante o governo Fernando Henrique Cardoso, a situação é de alívio – à época, o percentual estava em 16,63%.

Ainda de acordo com o ONS, as afluências das regiões Sudeste/Centro-Oeste também continuam com previsões favoráveis, podendo atingir 111% da Média de Longo Termo (MLT), medida que compara a vazão natural com um mesmo período anterior. Considerando este mesmo indicador, outro destaque na próxima semana vai para o subsistema Norte que deve chegar a 231% da MLT. As regiões Nordeste indicam 99% da MLT e a Sul, 59%.

No Sul, os índices apresentaram nova melhora e devem chegar a 55,1% da sua capacidade no fim de novembro. Um exemplo é o nível da usina hidrelétrica de Salto Santiago, que registrou em outubro 31,66% e neste mês está em 40,82%.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)